Marion Bartoli

Marion Bartoli (Crédito: Reprodução Instagram)

TÊNIS NEWS
07/07/2016
13:29
LONDRES (ING)

A ex-tenista francesa Marion Bartoli, campeã de Wimbledon em 2013, revelou que sofre uma doença misteriosa, decorrente de um vírus, contraído em fevereiro, na Índia. Isso explica a espantosa perda de peso de Marion, que vinha preocupando a todos no meio do tênis.

O segredo revelado dá fim à série de especulações sobre distúrbios alimentares e anorexia por parte da ex-top 10, que sempre esteve acima do peso de atleta enquanto foi uma profissional e, desde sua aposentadoria, apresentou um grande emagrecimento, acentuado em 2016.

Em entrevista a um programa de Wimbledon, ela, que foi retirada de uma exibição no All England Club, na terça, por decisão dos médicos, disse que o problema que a acomete vem causando alergia a várias coisas, desde comida até acessórios eletrônicos, e definiu sua vida como “um pesadelo”. “Minha vida, neste momento, é um absoluto pesadelo. O que estou passando não desejo a ninguém”.

“Meu corpo começou a recusar mais e mais coisas – qualquer coisa, de comida a itens eletrônicos. Não posso digitar em meu celular sem usar luvas. Não posso usar minha joias, porque minha pele reage mal”.

“Por exemplo, preciso lavar minha mãos com água mineral, não posso ter contato algum com água da pia, em nenhuma hipótese”.

Na parte mais dramática, a francesa falou que teme por sua vida. “Sim, é claro, talvez o meu coração pare. Passar por tudo isso é difícil”.

Ela também divulgou que, após exames de sangue, médicos confirmaram que ela tem um “vírus interno desconhecido”.

Bartoli expressou aos entrevistadores que mal pode esperar para ir à uma clínica especial, na próxima segunda, onde ela começará o tratamento que todos esperam que funcione.

Perguntada por que decidiu ir a público e anunciar o que tem, ela demonstrou um grande coração. “Eu queria explicar (o que tenho). Talvez haja mais pessoas no mundo com isso e elas precisam de ajuda. Estou sobrevivendo, neste momento, e rezo para voltar a ter uma vida normal”.