Daniel Köellerer - Ex-tenista austríaco banido do esporte por corrupção

Daniel Köellerer - Ex-tenista austríaco banido do esporte por corrupção. Crédito: USTA - Arquivo

Tênis News
07/03/2016
13:46
Viena (Áustria)

Primeiro tenista da história a ser banido do esporte por toda a vida após um processo na Unidade de Integridade do Tênis (TIU), o austríaco Daniel Koellerer voltou a atacar a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) e decretou: 'O circuito é uma máfia'.

O austríaco foi condenado pelo TIU por ter se envolvido no esquema de venda de resultados, argumentou sua condeção e 2011. Entretanto, o ex-tenista profissional segue contestando sua punição.

"Os testes me custaram US$ 180 mil, que não ganhei. A ATP destruiu minha vida. Minha casa, minha mulher, minha filha, tudo se foi e eu fiquei deprimido. Em casos de doping você fica afastado por um período determinado em caso de prova. Fui condenado sem provas, que me liguem às combinações de resultados", desafiou.

Kollerer sugeriu que jogadores mais famosos e importantes no tênis podem estar envolvidos, inclusive os quatro que compõem o Big Four (Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Andy Murray). "O que é chocante é que se diz por aí que os quatro melhores jogadores estão envolvidos. Pessoalmente, não acredito nisso. Não com suas contas bancárias. Mas nunca a ATP 'bloquearia' Djokovic, Federer , Nadal e Murray. Mesmo que eu não acho que eles manipulem seus jogos, seria suicídio da ATP (afastar jogadores famosos). Os melhores jogadores estão protegidos. São importantes para serem sacrificados", pontuou o tenista que destacou que a ATP busca provar irregularidades de outros tenistas para 'provar' que o esporte é limpo.

"Sou o bode expiatório da ATP. Eles me sacrificaram para mostrarem aos outros jogadores que punições podem acontecer. Há jogadores protegidos e depois há aqueles quem a ATP se quer ver livre", disparou Koellerer que disse que sonhava que a filha o visse competindo ao menos uma vez, mas que está cansado do 'maldito' tênis.

O ex-tenista admitiu, mais uma vez, ter sido procurado por um 'intermediário' para vender resultados de seus jogos. O austríaco voltou a pontuar que US$ 50 mil lhe foram oferecidos para perder uma partida para o russo Nikolay Davydenko, outros US$ 50 para perder para o sérvio Janko Tipsarevic e por fim US$ 100 mil para ser derrotado pelo chileno Nicolas Massú.

Koellerer voltou a dizer que foi abordado em um quarto de hotel, em um torneio e em um jantar, mas negou que tenha aceito qualquer uma das propostas. "Eu era muito estúpido em quadra, quebrava raquetes, xingava juízes. Eu era apenas indisciplinado, mas não tenho nada a ver com isso", disse ele que em uma partida contra o brasileiro Julio Silva chamou o brasileiro de "macaco" no meio da partida.

Sobre a investigação da BBC e da BuzzFeed News que aponta que 16 dos 50 melhores jogadores estão envolvidos em esquema de venda de resultados, o ex-tenista comentou: "Tenho certeza de que um ou mais jogadores do top 20 manipulem resultados. Se posso testemunhar? Não. Isso é um palpite. Para resolver esse problema as apostas deviam ser suprimidas. Mas, obviamente, não é possível se fazer isso, porque alguns torneios são patrocinados por casas de apostas. Isso é algo sujo. Esta é a máfia. Isso é a corrupção", disparou.