Thomaz Bellucci perdeu mais uma partida após se sentir mal fisicamente (Foto: Marcello Zambrana/Divulgação)

Thomaz Bellucci perdeu mais uma partida após se sentir mal fisicamente (Foto: Marcello Zambrana/Divulgação)

Felipe Domingues
25/02/2016
18:46
São Paulo (SP)

Mais uma derrota e mais problemas físicos. Nos últimos tempos essas duas frases surgem rotineiramente na carreira de Thomaz Bellucci (35). Nesta quinta-feira, após novo revés no Aberto do Brasil, em São Paulo, o tenista, visivelmente abalado, praticamente “jogou a toalha” quanto ao seu físico.

Após vencer o primeiro set contra o espanhol Roberto Carballes Baena, número 122 do mundo, por 6 a 2, Bellucci pediu atendimento médico, alegando um mal estar. Na volta, caiu na segunda parcial por 6-4, e na terceira, por 6-3.

Na sala dos jogadores, seguiu recebendo atendimento, até se encaminhar para a sala de imprensa para conceder entrevista coletiva. E o que ele disse chamou a atenção.

– Não é nenhuma lesão. Fisicamente não consigo manter a intensidade. No terceiro set estava sentindo câimbras. Estamos tentando achar uma solução para isso. Sabemos que se eu mantiver a intensidade alta e jogar bem como eu estava no primeiro set, não teria cinco, dez derrotas que tenho no ano. Meu jogo seria outro, meu ranking seria outro e minha atitude seria outra. Mas infelizmente não consigo – disse.

Na disputa do Aberto do Rio de Janeiro, encerrado na última semana, o brasileiro de 28 anos, também se sentiu mal durante o duelo contra o ucraniano Alexandr Dolgopolov, depois de ter vencido o set inicial.

Na volta, após ser medicado, melhorou seu jogo, mas mesmo assim saiu de quadra com outra derrota.

Há tempos o brasileiro se queixa de problemas físicos. Em 2014, foi constatado uma deficiência de hidratação no atleta, já corrigida.

Dessa vez, segundo Bellucci, a questão é outra. E a necessidade de correção é ainda mais urgente.

– Há uma hora que não sei o que acontece, não consigo jogar. Meu jogo cai de 100 a zero e qualquer cara do outro lado pode me vencer. Visivelmente o jogo estava na minha mão, mas não mantive – completou.