Italo Ferreira (RN)

Ítalo Ferreira busca no WQS garantir vaga na elite do surfe em 2018 (@WSL / Masurel)

LANCE!
04/10/2017
18:08
Cascais (POR)

O potiguar Ítalo Ferreira é a esperança do Brasil para manter a invencibilidade construída nas quatro últimas etapas WQS (divisão de acesso do surfe). Para isso, o surfista precisa repetir o feito do paulista Jessé Mendes no QS 10000 EDP Billabong Pro Cascais (POR). Na etapa feminina, válida pela elite Circuito Mundial (WCT), a australiana Nikki Van Dijk conquistou o título na final contra a havaiana Carissa Moore, nas mesmas ondas da Praia do Guincho nesta quarta-feira em Portugal.

Os quatro finalistas fazem parte do grupo dos top-34 que está disputando o WCT desse ano. Apenas o português Frederico Morais está entre os 22 primeiros do ranking, que são mantidos na elite, enquanto os outros três já buscam a permanência entre os dez indicados pelo WQS. 

O surfista de Baía Formosa acertou os aéreos para fazer o maior placar do campeonato (17,20) no duelo brasileiro das quartas de final com seu conterrâneo de Natal, Jadson André,. parou nos 9,40 pontos. Ítalo vai disputar a primeira semifinal contra o americano Kanoa Igarashi. A outra bateria será entre o português Frederico Morais e o havaiano Ezekiel Lau.

- Estou muito feliz em fazer outra boa bateria e foi bem legal competir com o Jadson (André) mais uma vez. Eu consegui achar umas ondas boas e completei esse aéreo grandão, então estou contente por ter acertado as manobras. Eu mudei de prancha para uma com um pouco mais de volume, porque tem muita água se movendo lá fora, então foi bom que fiz a escolha certa - disse Ítalo, que, com a classificação para as semifinais, aparece em vigésimo no ranking do WQS.

Italo não consegue entrar no top-10 nem com os 10.000 pontos da vitória em Portugal, mas no momento, metade das vagas é do Brasil. O paulista Jessé Mendes e o catarinense Yago Dora já se garantiram no WCT de 2018 por antecipação e os catarinenses Willian Cardoso e Tomas Hermes estão perto de repetir o feito. Já o cearense Michael Rodrigues é o mais ameaçado, pois não passou da sua estreia em Cascais e despencou da quarta para a oitava posição no ranking.

Nikki Van Dijk é campeã em Cascais

Além de definir os semifinalistas do último WQS 10000 antes do encerramento da temporada na Tríplice Coroa Havaiana, nesta quarta-feira, foi finalizada a oitava das dez etapas do Circuito feminino, também em Cascais (POR). A australiana Nikki Van Dijk estava em um dia iluminado, sempre achando boas ondas nas baterias para superar suas adversárias. Nas semifinais, barrou a líder de ranking Sally Fitzgibbons, graças a nota 7,83 que recebeu em sua última onda e virou o placar para 13,66 a 13,50 pontos.

Nikki Van Dijk (AUS)
Nikki Van Dijk é a quinta no ranking mundial (@WSL / Masurel)

Na decisão do título, não entraram muitas ondas boas e a havaiana Carissa Moore foi quem conseguiu surfar a melhor da bateria. No entanto, a tricampeã mundial não conseguiu pegar outra para somar com o 7,83 recebido. Carissa acabou tendo que computar uma onda 2,27 e Nikki Van Dijk festejou a vitória com as notas 6,00 e 4,67 que recebeu nas duas melhores que surfou. O placar terminou 10,67 a 10,10.

A próxima etapa do WCT feminino acontece junto com a oitava masculina, em Hossegor (FRA). Com o terceiro lugar em Cascais, Sally Fitzgibbons ganhou vantagem na dianteira da corrida pelo título mundial e apenas duas surfistas têm chances de tirar a sua camiseta amarela na França. Mas, tanto a vice-líder Courtney Conlogue, como a terceira colocada e atual campeã mundial, Tyler Wright, já necessitam chegar na grande final em Hossegor para ultrapassá-la. Além disso, a irmã de Owen Wright não participará da competição devido a uma lesão no joelho.