Filipe Toledo

Atual campeão no Rio, Filipe Toledo volta a competir após lesão (Foto: DIvulgação/WSL)

Jonas Moura
09/05/2016
16:30
Rio de Janeiro (RJ)

O brasileiro Filipe Toledo disse nesta segunda-feira estar perto da sua melhor condição física para a disputa do Oi Rio Pro, etapa brasileira do Circuito Mundial de surfe (WCT), que começa nesta terça-feira e tem janela até o  dia 21 deste mês. Ele não escondeu a felicidade que sentiu ao voltar a pegar uma onda, o que só aconteceu na semana passada.

O surfista sentiu dores na virilha na semifinal da etapa de Gold Coast (AUS), em março, na abertura da temporada. Com isso, ficou fora dos eventos em Bells Beach e Margaret River, no mesmo país. Os trabalhos médicos foram intensificados para que ele retornasse a tempo da disputa no Rio.

- A recuperação tem sido boa. Fui a dois médicos para ter opiniões diferentes. Ambos falaram dois meses para eu ficar 100% e estou quase. Há cinco dias, surfei pela primeira em vez desde a lesão em Ubatuba, parecia uma criança de 12 anos de tão feliz - contou o brasileiro, número 18 do ranking.

O paulista de Ubatuba terá a missão de tentar defender o título conquistado na capital fluminense no ano passado, diante de 24 mil pessoas. A falta de ritmo é o desafio, mas ele acredita que a briga pela taça de campeão está aberta.

- Tem sido difícil assistir de casa aos atletas fazerem o que eu mais goto de fazer. Ter me machucado foi triste, me afetou de certa forma no ranking, mas ele está meio enrolado ainda. Não tem muitos resultados constantes, o que me favoreceu - disse Toledo.

A chamada para o início do Oi Rio Pro será às 7h desta terça-feira, em Grumari, eleito palco alternativo da competição e com acesso limitado ao público. É provável que a partir de quinta-feira o torneio já possa acontecer no Postinho, na Barra da Tijuca, sede do ano passado.

- Esse evento enfrentou desafios muito grandes este ano. Talvez o maior tenha sido a destruição total da estrutura que levou seis meses para ser construída no Postinho. Tivemos de incrementar o site de Grumari e reerguer o evento - afirmou Renato Hickel, comissário da WSL para o tour masculino.