Esta é a americana Courtney Conlogue. "Quando não estou surfando gosto de pintar e desenhar", diz a californiana de Santa Ana.

Courtney Conlogue venceu uma etapa nesta temporada na disputa feminina (foto: Divulgação)

Guilherme Cardoso e Jonas Moura
10/05/2016
11:00
São Paulo (SP)

Se o domínio de Matt Wilkinson entre os homens causa surpresa, o mesmo não pode ser dito da disputa entre as mulheres. Afinal, a americana Courtney Conlogue vive o melhor momento de sua carreira e, se já era apontada como uma das candidatas ao título antes do início da temporada, os bons resultados da atleta de 23 anos nas primeiras etapas de 2016 aumentaram mais o favoritismo.

Na elite desde 2011, Courtney vinha de resultados crescentes em seus primeiros anos até que uma lesão em 2014 interrompeu tal evolução. Mas a recuperação não demorou muito e já na temporada passada a atleta ficou com o vice-campeonato, atrás somente da havaiana Carissa Moore. Motivo de comemoração? Pelo contrário.

A segunda colocação deixou a americana ainda mais focada. Afinal, como ela mesmo chegou a dizer: “Poderia ter ficado em primeiro”. E para não deixar a taça escapar agora, o foco principal em sua vida no momento é um só: o surfe.

Apesar de um pouco mais relaxada dentro do circuito, a surfista dos Estados Unidos não quer ter distrações fora do mar. Tanto que em entrevista ao site da Liga Mundial de Surfe, ela deixou claro que nem pensa em namorar agora.

– Meu primeiro amor foi o oceano, então por que não abraçar isso? – destacou a líder do ranking.

Nas três primeiras etapas de 2016, Courtney não deixou o pódio. Foi campeã em Bells Beach e ficou com o vice em Gold Coast e Margaret River, todas na Austrália.

Agora, no Rio de Janeiro, a meta é manter a boa fase. E o resultado da temporada passado a deixa bem animada. Afinal, não poderia haver algo melhor do que repetir a primeira colocação nessa disputa:

– Tenho muito orgulho da minha performance no ano passado. Acho que me diverti bastante. Tenho conseguido manter o ritmo e quero dar o meu melhor aqui.

Depois do período ruim em 2014 por conta de lesões, Courtney quer manter a evolução do Circuito. E somente o título para satisfazê-la.