Gabriel Medina

Gabriel Medina está a 3.100 pontos do líder John John Florence (Foto: Basilio Ruy Bosque)

LANCE!
29/10/2017
15:13
Maresias (SP)

Com pouco mais de um mês para a última etapa do Circuito Mundial, em Pipeline, no Havaí, Gabriel Medina já avisa os fãs da Tempestade Brasileira que está focado para trazer  o título mundial, uma vez mais, para o Brasil. O campeão mundial está em casa, em Maresias (SP), para a disputa do Hang Loose São Sebastião Pro QS 3000 entre os dias 2 e 5 de novembro. 

Medina parte para a disputa do bicampeonato com dois títulos do WCT na bagagem, conquistados na França e em Portugal. Antes disso, ele já havia faturado o primeiro título na piscina de ondas de Kelly Slater. Os dois troféus garantiram ao natural de Maresias a vice-liderança do ranking mundial, a pouco mais de 3.000 pontos de diferença em relação ao havaiano John John Florence.

- Se eu esperava as duas vitórias? Não! Eu fui para a Europa com essa missão de ir bem nos dois eventos e chegar no Havaí para disputar o título mundial - conta Gabriel, que completa: 

- Eu estava bem, minhas pranchas estavam muito boas, mentalmente estava pensando em ir bateria por bateria. Sabia que poderia ganhar uma das duas etapas, não as duas (risos). E foi pensando passo a passo que deu tudo certo. Confiei bastante até o final e acho que por isso que aconteceu de ganhar as duas etapas.

Animado e confiante, o campeão mundial revela que, agora, pensa em levantar, novamente, o título mundial.

- Estou super feliz com meus resultados. Foi até além do que eu esperava. Estou empolgado sim. Antes, não estava pensando em título mundial. Agora já dá para pensar. É muito pouco a diferença entre a gente.

Com duas finais em Pipeline no currículo, Medina revela o gostinho especial em disputar o troféu contra John John Florence, que tem como quintal de casa a sede da última etapa do WCT.

- Tenho boas lembranças. Sei o que preciso fazer para chegar numa final e vou tentar fazer isso de novo. Vai ser legal né? Especialmente porque é o John John. Hoje ele é um dos caras mais difíceis que tem para competir no Tour e, claro, tem um pouco de vantagem porque mora lá, conhece muito bem a onda, mas não tem nada impossível - afirmou Gabriel, que completa:

- Talvez seja a etapa mais importante da minha vida. Então vou fazer tudo, me preparar e chegar 100%. Estou vivaço nesse campeonato e vamos para cima. E não tem muito o que falar não. Vamos surfar e, se Deus quiser, conseguir mais um campeonato para o Brasil.

Apesar de o foco estar totalmente no Havaí, Gabriel mostra empolgação em competir no Hang Loose São Sebastião Pro.

- Muito bom estar de volta em casa, ainda mais competindo. É um evento que vou me divertir e, com certeza, vou querer ganhar, mas sem pressão. Estou levando como uma preparação, mais um campeonato que vou competir para continuar nesse ritmo”.

O evento ainda contará com outros membros da elite do surfe, como Adriano de Souza, Miguel Pupo, Wiggolly Dantas, Ian Gouveia e Jadson André.