José Maria Marin, ex-presidente da CBF (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Marin está foi extraditado para os EUA (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

LANCE!
05/11/2015
12:13
Nova York (EUA)

O ex-presidente da CBF José Maria Marin precisou dar uma garantia de 15 milhões de dólares (R$ 57 milhões) à Justiça dos Estados Unidos para poder ficar preso em seu luxuoso apartamento em Nova York até o seu julgamento. Porém, segundo informações do jornal "Folha de S. Paulo", o valor é inferior ao patrimônio que o cartola tem no Brasil, que seria de R$ 62,5 milhões.

A publicação diz que Marin tem nove propriedades registradas em seu nome ou da sua empresa no Rio de Janeiro e em São Paulo. Três delas foram comprados ano passado, quando ele era presidente da CBF e comandava o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo.

O imóvel mais valioso do cartola está estipulado em R$ 21,7 milhões. É uma mansão no bairro Jardim Europa, zona nobre de São Paulo, que teria 2,6 mil metros quadrados e seis quartos. Sua primeira propriedade no Rio foi comprada ano passado e está avaliada em R$ 1,6 milhão. É uma luxuosa cobertura dúplex em um condomínio em frente a praia da Barra da Tijuca.

Os valores divulgados pelo jornal são estipulados pelas prefeituras da cidade. Porém, especialistas no ramo imobiliário acreditam que as propriedades valem pelo menos 25% a mais.

Marin só terá que pagar os R$ 57 milhões para as autoridades americanas se desrespeitar algum ponto do acordo com a Justiça. Preso desde maio na Suíça, ele foi extraditado para os Estados Unidos na última terça-feira. Ele cumpre prisão domiciliar em um apartamento da Trump Tower, um dos prédios mais luxuosos de Nova York.