Bernardo Cruz
25/05/2018
16:37
Teresópolis (RJ)

Choros, confusão e clima tenso. O que era pra ser um dia de festa para a torcida no penúltimo treino da Seleção Brasileira na Granja Comary, em Teresópolis, acabou tendo esse cenário. Cerca de 400 pessoas (estimativa não oficial) comparecerem ao local para ver de perto os jogadores. Nem todos conseguiram.

Desde as primeiras horas desta sexta-feira, torcedores começaram a se concentrar na entrada da Granja Comary. Por volta das 14h, devido ao alto número e, de forma desordenada, houve uma tentativa de entrar no local. Foi o estopim para a confusão generalizada.

- Estou aqui em Teresópolis desde segunda-feira. Dormi na rodoviária, tudo porque queria ver a Seleção. Quando vi a movimentação muito grande, por minha iniciativa e para ajudar outras pessoas, consegui organizar uma lista. Tinha cerca de 390 - declarou Ryan Thierre, de 22 anos, morador de Nova Iguaçu.

Por iniciativa deste torcedor, os funcionários do condomínio onde fica a Granja, juntamente com a Polícia Militar, tentaram organizar a situação. Não tiveram muito êxito e o clima ficou exaltado. Muitas crianças estavam presentes e choraram com o ocorrido. Em alguns casos, elas entravam e ficavam esperando os responsáveis conseguirem superar o tumulto.

Diante da proximidade da atividade, o síndico do condomínio da Granja foi ao local e informou para a polícia que iria abrir os portões. Após muita conversa, foi montado um esquema e, aos poucos, os torcedores foram entrando. Na segunda barreira, onde a PM fez o controle, nem todos puderam entrar.


Com o treino já em andamento, os que ficaram na barreira policial gritaram para entrar no local. Foi em vão. Gritos de "vergonha" e "Uh é 7 a 1" foram entoados. Alguns torcedores tentaram invadir, mas foram contidos. A segurança foi reforçada. Uma tarde que tinha tudo para ser de festa do encontro entre Seleção e torcida acabou prejudicado por essa série de incidentes.