Bruno Cassucci
21/07/2016
06:30
Teresópolis (RJ)

Tite mal terá tempo de desfazer as malas. Depois de encerrar a sua peregrinação pelo Brasil para ver jogos da Serie A e falar com treinadores, o comandante da Seleção iniciará uma nova fase neste seu início de trabalho. Ele viajará nos próximos dias ao exterior e visitará grandes clubes, a fim de conhecer metodologias de trabalho e, principalmente, conversar com treinadores de atletas brasileiros que atuam no exterior.

Ele será acompanhado pelo coordenador da CBF, Edu Gaspar, e também pelo seu auxiliar Cléber Xavier. A ideia é aproveitar para assistir amistosos entre grandes clubes, que ainda estarão em pré-temporada. Ainda não está definido o roteiro, mas há chance de voltar aos Estados Unidos, onde Tite observou algumas partidas da Copa América Centenário no último mês. Será disputado no país um torneio amistoso com a presença de gigantes europeus, como Bayern de Munique, Real Madrid, Paris Saint-Germain, Milan, Inter de Milão, Chelsea e Liverpool.

O objetivo principal da excursão é colher informações sobre possíveis convocados e tirar dúvidas sobre posicionamento, comportamento, alternativas táticas, entre outros fatores levados em conta por Tite para montar a equipe para os seus dois primeiros jogos, contra Equador e Colômbia, ambos pelas Eliminatórias.

Questionado sobre como montar um time sem tempo para treinos, o comandante canarinho explicou:

- É preciso definir sistemas, buscar todas as informações de cada atleta selecionável, momento com e sem bola, funções, como exercem isso em seus clubes, como atletas respondem a ser mais duro ou ser um pouco mais calmo, característica que os técnicos têm me ajudado identificar para acelerar o processo de entrosamento. Sistema, posição, função, área de ação... O centro de informática me municia de informações, ações divididas no mapa de calor com e sem bola, ele condensa tudo, gosto de ver com e sem bola e consigo apressar a montagem do quebra-cabeça - justificou.

O calendário, porém, é um problema. Tite quer estar em Brasília no dia 4 de agosto, quando a Seleção olímpica iniciará a caminhada em busca do ouro, diante da África do Sul. O objetivo do treinador e de sua comissão técnica é acompanhar a todos os jogos do time de Rogério Micale no estádio. No entanto, a presença deles no amistoso contra o Japão, dia 30 de julho, em Goiânia, é incerta.

O treinador pensou em aproveitar as viagens para conversar também com os próprios atletas brasileiros, mas desistiu, como explica Edu Gaspar.

- O diálogo com os clubes será feito pela federação, e a conversa com jogadores pode ocorrer em outro momento. Agora, o Tite quer falar com os técnicos para colher informações, como está fazendo no Brasil.

Segundo relatório apresentado na última quarta-feira, Tite já assistiu a 22 jogos dos dois próximos adversários da Seleção e falou com 16 treinadores
. Como mostrou o LANCE!, ele também está vendo jogos do Brasil desde 2013.