Vadão é o técnico da Seleção feminina (Foto: Lucas Figueiredo/MowaPress)

Vadão é o técnico da Seleção feminina (Foto: Lucas Figueiredo/MowaPress)

Igor Siqueira
12/07/2016
17:03
Rio de Janeiro (RJ)

O técnico da Seleção Brasileira feminina, Vadão, protagonizou a cena mais bem-humorada da coletiva desta terça-feira após o anúncio da lista das 18 jogadoras que disputarão os Jogos Olímpicos. O treinador foi um pouco irreverente ao ser indagado sobre o código de conduta para a delegação, inclusive se há permissão ou não para sexo durante a Rio-2016.

Vadão prevê pouco tempo para outras "atividades", inclusive coloca ele mesmo na lista de "celibatários" temporários.

- Se algum familiar quiser visitar, tem hora marcada e área restrita aos familiares. Vai ter um lugar especial. Em relação a sexo, temos a nossa cartilha de programação. Se um dia entendermos que tem que liberar para uma folga... mas eu acho difícil, porque os jogos vão ser em sequência. Vai ter abstinência, como eu também vou ter. Eu vou ter e elas não vão ter? - brincou Vadão.

Em outro momento informal, ele contou como foram as horas que antecederam a conversa com o presidente da CBF para assumir o cargo de técnico das mulheres.

- Eu fui surpreendido pelo convite. Quando o presidente da Ponte Preta me chamou para uma conversa à noite e o time estava bem, Eu falei: "Não é possível que eu estou saindo". Aí o presidente disse que eu deveria estar na Federação para conversar com o Marco Polo e o Marin porque eles queriam que eu treinasse a Seleção feminina. Quase caí do sofá. Minhas filhas e minha mulher começaram a dar risada. Foi um oxigênio da minha carreira. Comecei a estudar um monte de coisa que jamais pensei a estudar - comentou Vadão, que até então só tinha trabalhado no masculino.

Vadão será estreante em Jogos Olímpicos e vai comandar o Brasil no Grupo E, contra China, Suécia e África do Sul.