Bruno Cassucci
12/08/2016
07:10
São Paulo (SP)

Por dois dias o Corinthians será a casa da Seleção olímpica em São Paulo. Nesta sexta-feira a equipe treina no CT Joaquim Grava. Já no sábado, a Arena, em Itaquera, receberá a partida entre Brasil e Colômbia, pelas quartas de final da Rio-2016. No que depender do clube, a recepção será a melhor possível. Porém, para quatro jogadores do elenco as portas alvinegras não estiveram sempre tão abertas...

Destaques do time que busca o inédito ouro olímpico, o lateral-esquerdo Douglas Santos, o volante Thiago Maia e o atacante Luan foram rejeitados pelo Timão quando mais jovens. O trio passou por avaliações na base do clube de Parque São Jorge, mas não agradou.

Douglas, hoje no Atlético-MG, alega ter ido bem nos testes, mas acha que não ter um empresário “forte” lhe prejudicou. Já a Luan, um dos destaques do Grêmio, a força que faltou foi física - ele foi chamado de "magrinho" e dispensado. Thiago, uma das grandes revelações recentes do Santos, não despertou interesse. E, resumidamente, foi assim que o Corinthians perdeu a chance de ter grandes atletas e ainda poder encher os cofres.

Para se ter uma ideia, Peixe e Tricolor gaúcho pedem mais de R$ 100 milhões cada um para liberarem as joias. Já o Galo fala em vender Douglas por R$ 39 milhões.

Estes, porém, não são os únicos jogadores da Seleção rejeitados no Corinthians. O goleiro Weverton teve trajetória diferente, mas com o mesmo fim. Revelado na base do clube, ele chegou a treinar entre os profissionais, mas foi emprestado diversas vezes e nem sequer estreou com a camisa alvinegra.
Contudo, há também na Seleção quem guarde ótimas recordações do Timão. É o caso do zagueiro Marquinhos, revelado no clube, e o meia Renato Augusto, campeão brasileiro pela equipe em 2015

– Tenho mais vitórias do que derrotas lá, é um lugar especial para mim. Me trouxe muitas alegrias, me trouxe de volta à seleção, com certeza está guardado no meu coração – comentou o camisa 5.

A Seleção, entretanto, quer esquecer o passado, deixar o clubismo de lado e contar com o apoio de todos, corintianos ou não. Acolhidos pelo público da Bahia, na quarta-feira, os jogadores pediram o apoio da torcida novamente em busca de um bem maior: o ouro.