Bruno Cassucci
05/08/2016
17:56
Enviado especial a Brasília (DF)

A falta de ritmo de jogo afetou Neymar na estreia na Olimpíada, diante da África do Sul, na última quinta-feira. Quem afirma é o preparador físico da Seleção Brasileira, Marcos Seixas, que prevê evolução do camisa 10 nos próximos jogos.

O capitão da equipe vinha de férias antes do início da preparação olímpica, há quase três semanas. Ele realizou trabalhos com um personal trainer por duas semanas antes de se apresentar ao grupo canarinho, mas não estava acostumado com o ritmo das partidas.

- Com ritmo de jogo ele não está, tanto que foi o segundo jogo dele na temporada (o primeiro foi o amistoso contra o Japão). Acredito que ao longo dos dois próximos jogos a sequência dará esse ritmo a ele. Sem dúvida nenhuma ele vai melhorar esse rendimento - comentou Seixas.

A falta de ritmo pode ter influenciado Neymar em tomadas de decisões e também em lances em que precisava arrancar, como explicou Seixas:

- Esses pequenos detalhes fazem a diferença em um jogador que está em ritmo.

Neymar, por sua vez, evitou culpar problemas físicos dele ou mesmo o gramado do Estádio Mané Garrincha pelo empate sem gols contra a equipe africana. 

- Tentei fazer meu máximo dentro de campo. Ás vezes as coisas não saem do jeito que a gente quer, mas faz parte - analisou após o tropeço.

O Brasil volta a campo no próximo domingo, novamente em Brasília, desta vez contra o Iraque, às 22h.