Dunga (Foto: Aldo Carneiro/LANCE!Press)

Dunga (Foto: Aldo Carneiro/LANCE!Press)

Igor Siqueira
05/04/2016
15:34
Rio de Janeiro (RJ)

A CBF não irá demitir Dunga enquanto não tiver um substituto na manga. Esse é um dos fatores pelo qual o atual treinador da Seleção não será demitido nesta terça-feira e, a não ser que haja uma reviravolta geral, ficará no cargo inclusive na Copa América Centenário.

Então, dependendo do desempenho da Seleção nos Estados Unidos, Dunga corre o risco de não comandar o Brasil no torneio olímpico de futebol da Rio-2016.

Há na cúpula da CBF quem reconheça que o trabalho não é bom. No entanto, o desejo na entidade não é trocar por trocar, sem que seja colocada uma figura de peso no lugar, já engatilhada para assumir no momento de uma hipotética demissão de Dunga.

Tite é o nome considerado ideal. Mas as manifestações do atual técnico do Corinthians de que não estaria disposto a trabalhar com o atual grupo que comanda a CBF estão sendo levadas em conta.

Parodiando um ditado popular, a CBF, hoje, prefere um Dunga na mão do que Tite voando.

Dunga esteve em reunião com o coordenador Gilmar Rinaldi e dirigentes da CBF, entre eles o Coronel Nunes, nesta terça-feira na sede da CBF. Marco Polo Del Nero, presidente licenciado da entidade, almoçou no restaurante da entidade junto com o treinador da Seleção e o coordenador. Mas há quem garanta que ele não participou da reunião com o comando da equipe nacional.