Bruno Cassucci
19/08/2016
17:06
Rio de Janeiro (RJ)

Milhões de espectadores ao redor do mundo e cerca de 70 mil no Maracanã assistirão à final olímpica entre Brasil e Alemanha, neste sábado. Contudo, para algumas delas pouco importa quem subirá no lugar mais alto do pódio. Com tantos jovens talentosos em campo, diversos clubes europeus voltarão suas atenções à partida de olho em joias que valem mais que ouro.

Empresários, olheiros e representantes de equipes da elite mundial estarão no Maracanã. Um deles já é famoso no Brasil: Raúl Sanllehí, diretor de futebol do Barcelona, que ganhou projeção por aqui durante a negociação de compra de Neymar e que esteve recentemente em um jogo do Palmeiras observando Gabriel Jesus.

O executivo já está no Rio de Janeiro curtindo os Jogos e nega que negocie ou observe algum atleta. O discurso oficial é de que apenas está na torcida para Neymar e Rafinha, jogadores do Barça.

Os ingleses Everton e Leicester também estão no Brasil analisando o atacante Luan, do Grêmio. Já Rodrigo Caio, que negocia com o Sevilla, da Espanha, é visto por um olheiro do Hamburgo, da Alemanha. No geral, haverá dezenas de observadores e empresários ligados ao futebol no Maracanã.

A Seleção Brasileira conta com apenas cinco jogadores atuando no exterior atualmente: Marquinhos (Paris Saint-Germain), Renato Augusto (Beijing Guoan), Felipe Anderson (Lazio) e Rafinha e Neymar (Barcelona). Entretanto, a expectativa é de que em um futuro próximo esse número cresça consideravelmente. Por ora, o único com transferência garantida para a Europa é Gabriel Jesus, vendido ao Manchester City (ING).