Bruno Cassucci
03/08/2016
14:21
Enviado especial a Brasília (DF)

Se o técnico Rogério Micale está nervoso ou ansioso antes da estreia da Seleção olímpica, ele conseguiu disfarçar muito bem em entrevista coletiva nesta quarta-feira, véspera da partida contra a África do Sul, em Brasília. Bem humorado, como de costume, ele fez brincadeiras na conversa com os jornalistas e arrancou risos.

Questionado sobre a equipe que buscará o inédito ouro olímpico para o futebol brasileiro, ele ressaltou a qualidade do elenco e disse ser o único anônimo do grupo.

- Nossos jogadores são extremamente conhecidos, o maior desconhecido é o treinador. Os jogadores despontam em suas equipes no Brasil, são jovens promissores, estão firmados no cenário nacional e internacional. Nosso torcedor pode esperar uma equipe com muita qualidade. Acredito muito no nosso jogador, no futebol brasileiro. Vivemos um momento difícil, mas nosso talento é forte - afirmou.

Micale não confirmou a escalação para o duelo no Estádio Mané Garrincha, mas indicou que Renato Augusto e Weverton, que treinaram na equipe principal na última quarta, serão titulares.

Indagado sobre o que faria se o Brasil estivesse em desvantagem e ele já tivesse recorrido aos reservas Rafinha e Luan, Micale mais uma vez fez piada:

- Eu já iniciei com esse time e já coloquei em campo Rafinha e Luan, como vou mudar? Jesus Cristo! Já abri mão de todas as possibilidades ofensivas... Só Jesus Cristo (risos).

- Confira os principais trechos da entrevista:

CONVERSA COM JOGADORES
Numa preparação com tempo muito reduzido de trabalho, tem que tentar otimizar o máximo possível todas as possibilidades. Como tivemos 14 sessões de treino, definir conceitos é complexo num espaço tão curto. Importante conversar, detalhar, ter feedback dos jogadores para saber se está sendo compreendido, alguma informação que venha de dentro do campo. São eles que praticam. Eu faço muito isso nas equipes em que trabalho, sempre procurei conversar individualmente e coletivamente com meu atleta para tentarmos achar um equilíbrio e que a equipe se entenda melhor.

WEVERTON
Weverton é um goleiro que acompanhamos há um tempo, se enquadra no perfil que queremos. Além de ser um grande goleiro, tem eficiência no jogo com os pés, percepção incrível, trabalha bem com a equipe, acompanhamos isso no Atlético-PR. Da mesma forma o Uilson, que fez excelente jogo contra o Japão.

JOGADORES ACIMA DE 23 ANOS JOGARÃO?
Quando convocamos um jogador acima da idade, nossa intenção é que ele seja titular, mas é bom salientar que Uilson tem minha confiança, mesmo não atuando como titular da sua equipe. Sei que está apto a desenvolver jogo que acredito e ele demonstrou estar preparado [...] É um bom indício de que eles irão jogar. Se convocamos jogadores acima dos 23 anos é porque esses jogadores são alicerces para a equipe. 

PRONTO PARA O OURO?
Pronto só se for no sentido de aproveitar tudo que tivemos de tempo e treinamentos para poder tentar implantar um modelo de jogo. Mesmo aquela equipe que joga há muito tempo junta nunca está pronta. O futebol é muito dinâmico, existe sempre um adversário querendo contrapor sua forma de jogar, temos de estar habilitados para responder essa imposição.

GRAMADO DO MANÉ GARRINCHA
Eu ainda não tive contato com o gramado, vai ser o primeiro momento, depois da coletiva estarei lá vendo. Dentro do modelo de jogo e da qualidade que queremos praticar, é fundamental ter bom gramado. É um jogo de apoio, de passes, triangulações, em alguns momentos de trocas de passes de primeira. Deixamos o lado do campo para o "um para um" e se não tiver o gramado em boas condições dificulta, pode gerar insegurança.