Jefferson (Foto: Divulgação/Botafogo)

Jefferson diz acreditar que pode ter nova oportunidade com Dunga  (Foto: Divulgação/BotafogoFR)

RADAR/LANCE!
06/04/2016
15:53
Rio de Janeiro (RJ)

Fora da Seleção Brasileira nos últimos jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que será disputada na Rússia, o goleiro Jefferson evita questionar a decisão do técnico Dunga. Um dos goleiros brasileiros na Copa de 2014, o capitão alvinegro afirma que ainda mantém o sonho de ter nova chance com o treinador.

- O Dunga é quem convoca, a gente tem que respeitar a opinião do treinador. Não temos que questionar. Precisamos trabalhar, continuar desempenhando no nosso clube. Ele disse que os jogadores precisam manter um bom desempenho no clube. A competitividade é grande. Eu creio que estou no caminho certo. Espero estar nas próximas convocações para ajudar a Seleção Brasileira - disse Jefferson, em entrevista ao "SporTV", nesta quarta-feira.

Jefferson era nome certo nas convocações da Seleção tanto com Mano Menezes quanto com Luiz Felipe Scolari, treinadores que antecederam Dunga. O arqueiro perdeu espaço no time titular depois de uma falha na derrota para o Chile, no ano passado, na estreia nas Eliminatórias. Mesmo com o treinador sendo muito criticado após os últimos resultados, o goleiro do Botafogo contemporiza e diz que ele "tem a cara da Seleção".

- O Dunga tem a cara da Seleção. A realidade é essa. É um cara vencedor na Seleção, que todos respeitam. Ele inova sempre nos treinamentos, procura trazer coisas novas. Todos os jogadores têm respeito pela sua liderança e por aquilo que ele representa na Seleção Brasileira. A gente sabe que é muito difícil ser técnico da Seleção e isso ele está superando. Eu creio que o trabalho vai ser bem feito e os resultados vão aparecer. Mas como eu falei, ele é um treinador que todos respeitam. Logo as vitórias vão chegar - afirmou o goleiro.

Jefferson perdeu a vaga na Seleção para Alisson, do Internacional.  Nas partidas contra Paraguai e Uruguai, além do goleiro colorado, Dunga chamou Marcelo Grohe, do Grêmio, e Diego Alves, do Valencia, da Espanha.