LANCE!
16/11/2016
03:13
Lima (PER)

São seis jogos, seis vitórias, consistência de resultados e de desempenho. Faltando muito pouco para confirmar a classificação à Copa da Rússia, uma pausa de quatro meses no trabalho da Seleção Brasileira esfria um pouco os ânimos e a dinâmica de trabalho de Tite. O treinador vai ter que lidar com férias de alguns, pausa para festas de outros e um período longo longe do grupo completo. O técnico não escondeu o lamento pela interrupção do ritmo.

- Que m... que parou. Queríamos dar sequência - brincou Tite, respondendo se queria que a Copa começasse logo e emendando:

- É o reinventar em relação a ser técnico da Seleção. Queria dar continuidade e, de repente, sai, interrompe. Tenho que me virar nessa história toda.

Tite agora só volta a comandar a Seleção em campo contra o Uruguai, no dia 23 de março. Até lá, terá na memória o desempenho da equipe nos seis primeiros jogos no cargo. Mas já está preparando o passaporte para acompanhar selecionáveis in loco.

- Já tem programada uma série de viagens para acompanhar convocados e também os que não foram convocados. Elias, por exemplo, Luiz Gustavo e todos outros para que eu possa ter o maior número possível para que eu seja justo - avisou o treinador em Lima, após o 2 a 0 sobre o Peru.

Nos seis jogos de "Titebilidade" na Seleção - pelos quais o treinador fez questão de agradecer a cada membro da comissão técnica -, o Brasil fez 17 gols, levou apenas um e alcançou 27 pontos na tabela de classificação das Eliminatórias.