Técnico da Seleção Principal Tite e Coordenador Edu Gaspar

Tite fará sua primeira convocação pela Seleção na próxima segunda (Foto: Lucas Figueiredo / MoWA Press)

LANCE!
16/08/2016
17:30
Rio de Janeiro (RJ)

A CBF conseguiu adiar em uma semana a convocação do técnico Tite para as partidas contra Equador e Colômbia, válidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O principal argumento para isso é não tirar o foco dos Jogos Olímpicos.

Alguns jogadores do grupo que está com Rogério Micale podem figurar a equipe do ex-treinador do Corinthians. Especialistas do LANCE! deram seus palpites sobre quem deve ser aproveitado.

João Carlos Assumpção, colunista do LANCE!

- Além do Neymar, o Renato Augusto, apesar de estar sendo criticado pela torcida, pode aparecer. Os dois Gabrieis, que são jovens e, se não agora, mais pra frente certamente serão lembrados. O Fernando Prass, não fosse a lesão, seria chamado. Os demais ainda têm muito a provar.

Thiago Correia, editor do LANCE!

- Do grupo de Micalen, até pela ausência de Jonas, um dos atacantes - Gabigol, Gabriel Jesus e Luan - poderia ser lembrado. Douglas Santos e Walace também parecem estar agradando. O resto, de cara, dá para excluir dessa lista Thiago Silva e Jonas. Ambos estão lesionados. É improvável ainda que Hernanes tenha espaço, pois não vive boa fase. Entre os prováveis, vale lembrar que Tite tem viajado pelo Brasil e está conferindo os jogos de perto, então faz sentido ver nomes como Geromel, Fagner, Victor Ferraz e Willian Arão. Não apostaria em uma nova convocação de Robinho. Tite já declarou ser fã de Philippe Coutinho, que não era tão querido por Dunga, e será nome certo. No resto, acredito que será algo bem semelhante.

André Schmidt, colunista do LANCE!

- Acredito que os jogadores de frente são os favoritos para estarem na lista de Tite. Além de Neymar, Luan e Gabigol têm tido atuações de destaque. Aproveitar o entrosamento que vem sendo criado na Olimpíada pode ser importante para este início de trabalho do treinador, principalmente pela Seleção não ter hoje um quarteto ofensivo definido. Renato Augusto, homem de confiança do técnico nos tempos de Corinthians, e Weverton, que vem ganhando confiança no gol - uma das posições que tiveram rodízio nos últimos anos -, também podem aparecer.