Gabriel, o Gabigol, é uma das maiores esperanças da Seleção olímpica do Brasil

Gabigol será o jogador olímpico que pode alavancar de vez a sua posição no time principal. Só depende dele, pois Dunga já sinaliza que o santista é a sua menina dos olhos  (Foto: PABLO PORCIUNCULA/AFP)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
05/05/2016
11:44
Rio de Janeiro (RJ)

Trata-se de uma convocação bastante razoável, com um grupo mesclado, embora o time titular esteja absolutamente  direcionado: Alisson;Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Luis Gustavo, Elias, Renato Augusto e Willian;  Douglas Costa e Ricardo Oliveira.  

Gil, adorado por Dunga desde o primeiro jogo desta sua segunda passagem, contra a Colômbia - quando entrou nos três minutos finais e jogou como se fosse final de Copa - está em alta. No time acima, talvez tenha uma ou outra oportunidade para Philippe Coutinho e Lucas Lima.

Minha aposta seria a possibilidade de Gabigol começar a ganhar oportunidades maiores, acumulando experiência para entrar com moral nos Jogos do Rio e, talvez, a partir daí, se tornar o camisa 9 para Eliminatórias e, conseguindo a vaga, para a Copa.

Como o treinador diz que está renovando a Seleção, vejo como muito clara a situação do ataque. Como Ricardo Oliveira mostrou serviço e Gabigol é a aposta, ficava a dúvida sobre qual o goleador ficaria como coadjuvante esquentando o banco. A opção foi por Hulk, o que mostra que Jonas e Firmino passa a figurar naquela lista que contam com Jefferson, Marcelo, Thiago Silva e David Luiz, os encostados que - usando as palavras do técnico na coletiva desta quinta-feira: "não estão na lista, mas podem estar na Seleção, pois já sabemos o seu comportamento (sob pressão)". resumindo: dançaram.