LANCE!
06/04/2017
11:06
São Paulo (SP)

O lateral-direito Maicon, titular da Seleção durante a Copa do Mundo de 2010, pediu para treinar no Botafogo e começou a trabalhar pelo clube nesta quinta-feira - no entanto, ele não tem contrato assinado com o Glorioso. Aos 35 anos, o jogador está sem clube desde o meio de 2016, quando deixou a Roma.

E por onde andam os demais jogadores da Seleção na Copa de 2010? O Palmeiras tem dois atletas que foram titulares: o volante Felipe Melo e o meia Michel Bastos. O primeiro, que deixou o Mundial como vilão por uma expulsão, atuava na Juventus (ITA) na época, enquanto que o segundo era lateral-esquerdo do Lyon (FRA) em 2010. Do time que começou a Copa na África do Sul, o atacante Robinho, no Atlético-MG, o zagueiro Juan, no Flamengo, e o atacante Luis Fabiano, no Vasco, são os outros que atuam no Brasil atualmente.

Três já estão aposentados: Lúcio, Gilberto Silva e Elano.

Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Felipe Melo, Elano e Kaká; Robinho e Luis Fabiano foi o time que começou a Copa do Mundo com Dunga há seis anos e meio.

O jogador daquele grupo mais novo atualmente é o volante Ramires, que aos 30 anos está no futebol da China. (confira onde estão todos nas fotos acima).

O São Paulo teve em 2014 e 2015 dois titulares da Copa de 2010: Michel Bastos jogou ao lado de Luis Fabiano, que deixou o clube há pouco mais de um ano. Michel rescindiu seu contrato no mês passado para acertar com o Palmeiras.

Na Copa de 2010, apenas três dos 23 convocados atuavam no Brasil: Gilberto, no Cruzeiro, Kléberson, no Flamengo, e Robinho, no Santos. Daniel Alves é o único que, seis anos depois, segue como titular na Seleção Brasileira, agora comandada por Tite. Thiago Silva continua na Seleção, mas tem sido reserva.

O Brasil foi eliminado nas quartas de final na África, ao ser derrotado por 2 a 1 para o Holanda. Robinho abriu o placar no primeiro tempo, mas a Seleção levou a virada no segundo. Felipe Melo foi expulso após o segundo gol holandês e tornou a reação brasileira ainda mais difícil.