Bruno Cassucci e Marcio Porto
27/03/2017
18:45
São Paulo (SP)

Neymar será o capitão do Brasil no duelo contra o Paraguai nesta terça-feira, na Arena Corinthians, pelas Eliminatórias da Copa de 2018 na Rússia. Será a primeira vez que ele usará a faixa com o técnico Tite, que vinha tendo o zagueiro Miranda como capitão.

A última vez que o atacante do Barcelona (ESP) foi capitão da Seleção foi na Olimpíada, na conquista da medalha de ouro. Depois do título inédito, anunciou que não seria mais o dono da faixa. Nesta segunda, na véspera da partida contra o Paraguai, ele explicou por que a decisão e a retomada do posto.

- Foi uma decisão que eu tive após a Olimpíada por tudo que houve, pelo que falaram e tudo que aconteceu. Senti que não era o momento de exercer essa posição de capitão. Com o tempo trabalhando com o professor Tite, além de o grupo ser maravilhoso, acho que é por ele que vale qualquer esforço, qualquer meta. Ele é um cara que eu já admirava de longe e passei admirar ainda mais agora. Fico muito feliz por ter sido escolhido, estou fazendo isso por ele - afirmou Neymar, que concedeu entrevista ao lado do treinador.

- Há um tempo atrás ele conversou comigo, fez eu pensar. Mas não só nessa decisão, mas no meu modo de agir e de viver na Seleção. O rodízio que o professor faz não me deixa sendo o melhor nisso ou naquilo. O capitão está ali para usar a braçadeira e representar a seleção, mas pode ser capitão sem usar a braçadeira. Ele pode dar uma dura, ajustar a marcação se estiver vendo o jogo de trás... Eu venho melhorando muito em tudo, já me estressei muito porque não aceitava tomar pancada, hoje já estou tranquilo quanto a tudo isso, me vejo mais centrado, mais focado - completou Neymar.


Neymar marcou um dos gols na goleada de 4 a 1 sobre o Uruguai na quinta-feira passada. O gol no Estádio Centenário também deixou o camisa 10 ainda mais próximo de Romário, quarto maior goleador da Seleção Brasileira. Neymar chegou a 51 tentos, cinco a menos que o Baixinho.