Bruno Cassucci
02/08/2016
07:55
Enviado especial a Brasília (DF)

A Seleção ganhou cara nova na última segunda-feira, quando iniciou a preparação para a Olimpíada em Brasília. A equipe apresentou novos uniformes, substituiu placas publicitárias e até trocou o escudo da CBF pela bandeira do Brasil.

Isto aconteceu não por vontade da Confederação Brasileira de Futebol, mas sim por imposição do Comitê Olímpico Internacional. No período olímpico, as seleções não podem exibir patrocinadores ou usar o escudo de federações. 

Por isso, o goleiro Weverton concedeu entrevista coletiva de apresentação com uma bandeira do Brasil ao fundo em vez do costumeiro painel com distintivos de patrocinadores da CBF.

O cumprimento de tais regras já vinha sendo observado nos treinamentos do time feminino de futebol.

Atualmente, a confederação conta com 11 parceiros oficiais: Itaú, Vivo, Guaraná Antártica, Chevrolet, Mastercard, Samsung, Gol, Ultrapharma, Englishtown e Cimed. A Nike, por ser fornecedora de material esportivo da equipe canarinho, pode seguir exibindo seu logotipo nos uniformes.

Inicialmente, a Seleção teve os modelos de uniformes olímpicos divulgados com o escudo do Time Brasil. O logo criado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) possui a palavra "Brasil" e os anéis olímpicos. No entanto, assim como em 2012, em Londres, as equipes de futebol utilizarão apenas a bandeira do país no peito, O objetivo dessa medida é evitar conflitos com os patrocinadores da CBF que são concorrentes de parceiros comerciais do Time Brasil.