Gilmar Rinaldi

(FOTO: Rafael Ribeiro / CBF)

Igor Siqueira
02/09/2016
13:08
Rio de Janeiro (RJ)

Não é porque esteve em um trabalho na Seleção Brasileira que antecedeu ao de Tite e Edu Gaspar que Gilmar Rinaldi, ex-coordenador de seleções da CBF, deixa de elogiar o Brasil por causa da vitória sobre o Equador pelas Eliminatórias, na estreia da nova gestão na equipe.

Gilmar conversou com o LANCE! e não se sente constrangido por falar de Tite, dizendo ainda ser torcedor incondicional da Seleção.

- Fiquei muito feliz, contente demais pelo resultado. Antes de jogar bem, era muito importante ganhar os três pontos, isso era o importante do jogo. Independentemente de qualquer coisa, eu sou brasileiro, amo futebol. Que bom que aconteceu o resultado nessa hora difícil. Vai dar tranquilidade para trabalhar. Foi o primeiro jogo, o primeiro resultado, é para dar sequência - disse Gilmar, que ainda faz mais elogios à Seleção:

- Melhorou e vai melhorar. Saiu uma carga muito grande. O resultado foi importante para o Tite, o grupo e a CBF.

Gilmar ainda se derreteu para Gabriel Jesus, que marcou duas vezes e sofreu um pênalti na vitória por 3 a 0, sendo protagonista na estreia dele com o time principal.

- O time fluiu no segundo tempo, O Gabriel Jesus mostra que é muito diferente, o time tirou um peso muito grande - completou Gilmar, que torceu pela Seleção olímpica in loco, na final vencida no Maracanã.

O ex-coordenador ainda pontuou que achou interessante o fato de Tite citar nomes dos técnicos antecessores nas coletivas, como o fez na quinta-feira, como Dunga, Felipão, além de técnicos dos clubes, no caso o Palmeiras.

- Eu buscava dar mérito também. No futebol de hoje, você tem que dividir, Ninguém conquista nada sozinho e ninguém perde sozinho. A ordem na minha época era integração, abriu-se as portas. Que bom que esse perfil continua - afirmou o ex-goleiro tetracampeão.

Desde que foi demitido da CBF, junto com Dunga, após o fiasco na Copa América Centenário, Gilmar não voltou a trabalhar com o futebol. E acrescenta que não tem planos de atuar no mundo da bola a curto prazo.