Bruno Cassucci
20/07/2016
08:08
Teresópolis (RJ)

Quem é Rogério Micale? A pergunta foi feita por centenas de milhares de pessoas, não só nas conversas entre amigos ou nas redes sociais, mas também na ferramenta de busca mais utilizada nos tempos atuais: o Google.

Desconhecido da maioria dos brasileiros, o técnico foi efetivado como comandante da Seleção olímpica no dia 15 de junho, após a demissão de Dunga e com aval de Tite. Se uma semana antes o Google Trends (página de monitoramento de buscas no site) registrava menos de 1% de pesquisas com o nome dele, na semana seguinte o gráfico atingiu seu pico, chegando a 100% – o programa não divulga o número absoluto de consultas dos termos.

O Google informa que o baiano de 47 anos Rogério Micale se chama Mário, primeiro nome pouco utilizado por ele e por quem o cerca.

Mas as informações contidas na web não satisfizeram torcedores e jornalistas, que passaram a buscar pessoas próximas ao técnico, sobretudo a sua família. O assédio fez Silvana, a mulher de Micale, pedir ajuda da assessoria de imprensa da CBF e irritou Natália, filha dele, que desabafou em sua página do Facebook. Em longo texto, ela revelou estar recebendo até pedidos para coletar autógrafos e falou: “Está chatão responder mensagens sobre meu pai o dia inteirinho (sic)”.

Micale demonstra mais paciência que a filha. De voz calma, ele é reconhecido por ouvir jogadores, dirigentes e companheiros de comissão técnica e tem bom trato com os jornalistas. Na última terça, depois de entrevista coletiva, foi atencioso e bateu papo brevemente com os repórteres que cobrem a Seleção – algo inimaginável na era Dunga.

Há, porém, traços mais marcantes na personalidade dele. Um é a busca por aperfeiçoamento, que fez dele um estudioso do futebol. O outro é o bom humor, como relata André Figueiredo, diretor de futebol de base do Atlético-MG, onde Micale trabalhou por mais de seis anos.

– O Micale é extremamente engraçado. Ele pensa 12 horas por dia em futebol e as outras 12 em sacanagem com os outros e piadas.

No quadro abaixo, você conhece um pouco mais do treinador que buscará o inédito ouro ao Brasil.

- CONHEÇA O TÉCNICO

Estilo de jogo
Apontado como “moderno”, ele gosta de times ofensivos e costuma utilizar o esquema 4-2-3-1, mas com variações com e sem a bola. O jogo flui a base de triangulações e na maioria das vezes pelas pontas. Ele afirma que se inspira na ousadia do futebol holandês para atacar e na organização e força italiana para defender.
......................

Caos
A palavra é usada por Micale para explicar como ele gosta que suas equipes ataquem. Priorizando atletas rápidos e dribladores, o técnico dá liberdade para que atacantes e meias troquem de posição frequentemente. A defesa comumente atuar avançada.
......................

Personalidade
O estilo brincalhão ajuda no trato com jogadores (embora ele deixe as piadas de lado nos vestiários e treinos). Por outro lado, também é criticado por “se achar psicólogo” e ser um pouco teimoso. Também é muito apegado à família.

......................

Passado
Sem muito sucesso, ele foi goleiro de equipes pequenas do norte do Paraná, como União Bandeirante, mas abandonou a carreira cedo. Nessa época, ele tinha o apelido de Aranha.


- FICHA TÉCNICA
Nome : 
Mário Rogério Reis Micale
Nascimento: 28/3/1969 - Salvador (BA)
Técnico sub-20: Portuguesa Londrinense Sub-20, ADAP Jacarezinho, Marcílio Dias, ADAP Campo Mourão, Londrina, Figueirense, Atlético-MG e Brasil.
Técnico profissional: Figueirense (interino) e Grêmio Prudente.
Principais títulos: Taça BH Sub-20 (2009 e 2011) e Copa São Paulo Júnior (2008).