Marcio Porto
18/10/2017
05:50
São Paulo (SP)

O tempo voa. Parece que foi ontem que Marcos Guilherme fez sua estreia pelo São Paulo marcando dois gols na épica vitória de 4 a 3 sobre o Botafogo no Rio de Janeiro. Desde o duelo no Engenhão, passaram-se mais de dois meses, o atacante virou titular, fez mais dois gols, mas o Tricolor paulista segue brigando contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, Marcos volta a atuar na Cidade Maravilhosa, desta vez contra o Fluminense, sonhando em repetir a atuação de seu debute. Ele está babando.

- Estou feliz com meu desempenho, venho crescendo a cada jogo. Vim de fora. A competição lá é um pouco diferente, achei que ia demorar mais. Mas foi rápido, até pela recepção, comissão técnica, torcida. Isso me ajudou muito - afirmou o atacante, que começa jogando no Maracanã.

Marcos Guilherme simboliza a fase do São Paulo, que tem bons momentos, mas ainda não decolou. O Fluminense, no Rio, pode marcar a ruptura. É só voltar no tempo. Nesta quarta, faz um ano e um dia que o Tricolor paulista vivia situação muito parecida com a de agora e começou a sair após triunfar sobre o Tricolor carioca fora de casa. No dia 17 de outubro do ano passado, a equipe então comandada por Ricardo Gomes venceu o Flu por 2 a 1 de virada em Mesquita e abriu quatro pontos da zona do rebaixamento. Foi o início da arrancada que salvou o time, situação que Marcos Guilherme, o símbolo, espera que se repita. O São Paulo está na 13ª colocação com 34 pontos, dois acima do Z4.

- Difícil achar um porquê de ainda não termos engrenado. Mas chegou a hora, não tem mais espaço para tropeço, ainda mais agora contra adversário direto. Estamos muito próximos na pontuação, vamos tentar pegar esses pontos para engatar a sequência e sair dessa situação - analisou o camisa 23.

O São Paulo encara a sequência como a chance de afastar de vez o fantasma do rebaixamento. Depois do Fluminense, terão dois jogos no Pacaembu, contra Flamengo e Santos. E é de uma atuação no estádio que Marcos Guilherme espera que o time tire inspiração.

- Na minha opinião, o jogo contra o Atlético-MG foi o melhor. Conseguimos fazer tudo que o Dorival pediu, que é marcar alto, não dá espaço para o adversário. Acho que foi essa nossa melhor partida - disse.

Chegou a hora para o São Paulo. Com o campeonato afunilando, todo jogo é decisão. Até porque o tempo não para.