Bruno Grossi
28/09/2016
18:07
São Paulo (SP)

Desde a semana passada, o São Paulo trabalha nos bastidores para resolver a situação do garoto Paulo Henrique, do sub-20. O atacante tem proposta do Watford (ING), mas o clube paulista só deve aceitar negociar o jogador após a assinatura do primeiro contrato profissional, permitidos quando um atleta de base completa 16 anos de idade, e que ainda está para sair.

O departamento de futebol de base do Tricolor diz que não tem nada a comentar sobre o caso, mas reconhece que está em andamento. O LANCE!, porém, apurou que a diretoria só deve aceitar liberar a promessa após a assinatura do vínculo profissional. Assim, uma multa seria estipulada e uma negociação mais complexa seria aberta com os ingleses.

Do outro lado está o empresário de Paulinho, como é conhecido o atacante. Luciano Couto espera o contrato profissional desde o ano passado, quando recebeu promessa do ex-presidente Carlos Miguel Aidar e chegou a tratar com o ex-diretor-executivo Gustavo Oliveira. Também em 2015, diz ter recebido oferta para levar o garoto para o Red Bull Salzburg, da Áustria.

Paulo Henrique Pereira da Silva nasceu no Gama, no Distrito Federal, em 26 de junho de 1998

Pela legislação brasileira, atletas de base não podem se transferir para outras equipes do país antes do primeiro vínculo oficial de trabalho. A ideia da regra é proteger os clubes contra assédios de rivais, mas não engloba agremiações estrangeiras. Dessa forma, não haveria nenhum impeditivo para que Paulinho já acertasse com o Watford, onde seu agente vê chances de profissionalização imediata - no Tricolor, o planejamento é para mais dois anos na base. 

Couto, porém, assegura que não tem como objetivo forçar a saída do São Paulo e se declara aberto a assinar o contrato profissional antes de concluir as negociações com os ingleses. Uma reunião estava prevista para esta quarta-feira no CFA Laudo Natel, em Cotia, para alinhar o caso com o gerente-executivo da base, Rodolfo Canavesi.

Resta agora o contato com Marco Aurélio Cunha, que ficou com o cargo de diretor-executivo. Até mesmo o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva deve participar das próximas conversas. Paulo Henrique tem sido utilizado no Campeonato Paulista Sub-20, mas sem tanta frequência devido ao problema contratual. Em seu último jogo, ante o Guaratinguetá, fez dois gols.

Em 2014, foi vice-campeão paulista sub-16. Em 2015, foi artilheiro e melhor jogador da Al Kass, torneio internacional disputado no Qatar. O São Paulo venceu Paris Saint-Germain (FRA), Atlético de Madrid (ESP), Real Madrid (ESP) e Milan (ITA) até a semifinal, mas perdeu a decisão nos pênaltis para o PSG. Também no ano passado, foi campeão paulista sub-17.