Sidão

(Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

LANCE!
03/10/2017
14:37
São Paulo (SP)

Sidão curte nesses dois dias de folga dados por Dorival Júnior a consequência de sua grande atuação na vitória por 1 a 0 sobre o Sport, no domingo, que tirou o São Paulo da zona de rebaixamento do Brasileiro. O goleiro celebra que tem vida social, passeando com a família. Mas pede pés no chão e lembra de quando atuou no Botafogo, no ano passado, que não perdeu de foco a busca pela pontuação que garante o clube na Série A e chegou à Libertadores.

- Foi uma lição que tive no Botafogo. Se puder, vou passar aqui. É focar nos 47 pontos para afastar de vez esse fantasma. Aí, vendo onde estamos na tabela, podemos brigar por coisa melhor. Mas é fazer logo essa pontuação para encerrar o assunto de rebaixamento. Está muito embolado. Com qualquer resultado negativo, a gente pode voltar para a zona de rebaixamento. É manter o foco para continuar subindo na tabela - disse Sidão ao Sportv.

O Tricolor passou 13 rodadas na zona de rebaixamento, mas, agora, com 31 pontos, está em 14º lugar, a um ponto da faixa de descenso. Como o elenco só se reapresenta na tarde desta quarta-feira, cabe a Sidão, o herói do São Paulo no fim de semana, curtir a vida com tranquilidade, finalmente.

- Dá para sair de casa, né? Eu até estava passeando no shopping com a minha esposa agora pouco. Dá para ter vida social. Na zona de rebaixamento, nós nos privamos disso, por respeito ao torcedor. Agora, fora da zona de rebaixamento, tenho vida social - comentou, feliz com sua reviravolta no clube, após sofrer com críticas.

- A vida ensina muita coisa. Já me bateu bem forte. Cheguei ao São Paulo no começo do ano pegando pênalti, todos falando bem para caramba de mim, depois tive uma fase bem ruim, sofri bastante. Passei um tempo difícil pessoalmente, no tempo em que fiquei fora por conta da lesão, incapacitado de fazer o que gosta, mas voltei trabalhando forte. É trabalhar sério, com pés no chão, para ajudar o São Paulo.

Nesse momento de alta, Sidão não cansa de falar em Rogério Ceni, responsável por sua contratação, no começo do ano. E o Mito, que viaja pela Europa para continuar se especializando na função de treinador, fez questão de felicitar o camisa 12 pelas defesas que fez contra o Sport.

- Sou grato ao Rogério. Sei como é difícil ter contato com o Rogério. É, realmente, um privilégio poder trocar mensagens com ele. Ele me mandou parabéns da Inglaterra. Sou grato a Deus por tê-lo colocado no meu caminho e a ele por ter aberto as portas do São Paulo para mim, ainda mais sendo o maior ídolo, tendo jogado na posição. E teve um pouco de paz, vendo que acertou no cara que trouxe - comentou, rindo ao se comparar com Ceni.

- O Rogério, em um jogo como esse, faria um gol de falta ou de pênalti e salvado no fim. Não fiz gol, mérito do Marquinhos (Marcos Guilherme), mas fiz minha parte, graças a Deus, junto com companheiros, com a galera ajudando na área para tirar a bola.