Marcio Porto
27/04/2017
12:40
São Paulo (SP)

O atacante argentino Lucas Pratto comentou nesta quinta-feira sobre a confusão no jogo entre Peñarol (URU) e Palmeiras nesta quarta pela Copa Libertadores. Em Montevidéu, uma confusão generalizada se deu início logo após o apito final na vitória por 3 a 2 da equipe brasileira. Na briga, o volante Felipe Melo acertou um soco em Matias Mier, gerando revolta nos uruguaios. Melo acabou sendo citado por Pratto, que falou sobre provocações dentro de campo. A pergunta para o argentino foi sobre o que ele faria se estivesse numa situação daquelas.

- Depende o que acontece. Às vezes, um jogador provoca outro. Felipe (Melo), ultimamente, está em todas, né? (Risos). Tem que tentar não brigar. Aqui temos muita insegurança. Depois da briga passou para as torcidas. Então, acho que se você faz alguma coisa de violência dentro do jogo pode ir para fora. Mas é uma coisa de rivalidade, sempre uruguaio com argentino, uruguaio com brasileiro tem uma rivalidade especial - disse Pratto.

- O primeiro jogo também terminou mal, por isso o Palmeiras levou muitos seguranças por lá, tinha mais do que normal. A gente tenta não brigar, mas às vezes são situações que ficam fora do controle. Não sei porque foi a briga, mas às vezes provoca também e deixa o rival mais bravo - completou o são-paulino.

Nas imagens de televisão, dá para notar Felipe Melo tentando se esquivar dos uruguaios depois de a confusão iniciada. Ele caminha para trás, até que Mier chega próximo correndo, no momento em que o palmeirense decidi acertá-lo com um soco. A partir daí, outros uruguaios foram para cima de Felipe, na briga que se seguiu até o vestiário.

O clima quente entre Peñarol e Palmeiras começou já antes do confronto. Felipe Melo declarou, em sua apresentação, que daria tapa na cara de uruguaio se fosse preciso jogando a Libertadores. Ele não se referia exatamente a uruguaios, como explicou depois, sendo mais uma forma de dizer que estaria sempre aguerrido. No entanto, no duelo entre as equipes em São Paulo o clima esquentou e o palmeirense disse que sofreu ofensas racistas.