LANCE!
26/05/2016
00:53
São Paulo (SP)

Rogério é um dos xodós da torcida do São Paulo desde o ano passado, quando estreou marcando gol em vitória por 2 a 0 sobre o Internacional, no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, o atacante voltou a mostrar sua estrela ao sair do banco e garantir o empate em 1 a 1 com o Coritiba no Couto Pereira, pela terceira rodada do Brasileirão.

- Tenho trabalhado bastante. Vocês podem ver que os treinos acabam e eu fico lá chutando mais tempo. É bola do jogo. A gente treina, aparece a oportunidade e hoje eu fui feliz de acertar o chute. Criamos muitas chances, chegamos a acertar a trave duas vezes no mesmo lance, mas graças a Deus consegui marcar o gol e empatar - valorizou o camisa 17.

Coritiba x São Paulo
Atacante vibra com o empate desta quarta-feira contra o Coritiba, no Couto Pereira (Foto: Guilherme Artigas/Lancepress!)

Mas o prestígio entre os torcedores não é o mesmo com Edgardo Bauza. Patón minimiza qualquer discurso sobre Rogério dar sorte ao Tricolor. O argentino pensa apenas no trabalho, na efetividade dos jogadores. E, para o treinador argentino, o atacante pode render mais atuando centralizado, e não aberto nas pontas, onde o jogador estava mais acostumado a jogar.

- É um jogador para atuar pelo centro do campo, um pouco atrás do centroavante, como um ponta de lança. Por fora ele perde possibilidades. Pelo meio, pode usar mais o bom chute que tem. O problema é que por ali ele briga com Lucas Fernandes e Ganso, mas é uma alternativa direta para mim. Entrou de novo, fez o gol e já recuperou o vigor físico - destacou Bauza.

ROGÉRIO EM 2016:
​Partidas: 17
Gols: 3

O que pode dar mais fôlego a Rogério é uma mudança no comportamento do jogador. Antes avesso à ideia de Patón por escalá-lo centralizado no ataque, o camisa 17 agora promete se adaptar aos pedidos constantes do comandante são-paulino. 

- Desde quando cheguei, busco meu espaço. Quando aparecer a chance, estou aqui. Mantenho o trabalho forte e o foco para aparecerem os resultados. É complicada a disputa no meio, mas tenho que me adaptar e fazer o que professor pedir. Quem souber jogar em mais funções vai fazer a diferença. Foi complicado no início, mas o trabalho vai ajudar - prometeu Rogério.