Morumbi - acidente

Perito observa o local do acidente depois do jogo contra o Atlético-MG (Foto: Marcio Porto)

Bruno Grossi e Marcio Porto
12/05/2016
02:32
São Paulo (SP)

Cerca de duas horas após o fim da vitória por 1 a 0 do São Paulo sobre o Atlético-MG, um perito do Instituto de Criminalística foi enviado ao Morumbi para analisar o local do acidente em que 25 pessoas caíram após a quebra de uma grade. Segundo Eward Folli Júnior, perito do setor de engenharia do órgão, o problema se deve à corrosão dos materiais da estrutura.

- O problema está entre o aço inox e essa solda. Funciona mais ou menos como uma pilha, então ocorre uma corrosão natural. Não sabemos o tipo ainda, então vamos mandar para o laboratório para verificar o que ocorreu. A princípio, dá para dizer que o material estava fragilizado por corrosão - explicou Júnior, em rápida coletiva de imprensa no estádio.


A diretoria do São Paulo avisou, antes da visita do perito, que só falaria sobre o socorro às sete vítimas que precisaram ser encaminhadas a hospitais da região. O clube enviou advogados para cuidar da burocracia de caso e prometeu arcar com os custos das internações. Já sobre eventuais punição da Conmebol na Copa Libertadores da América e interdição do estádio, nada foi dito.

- Todos as grades estão comprometidas, todas da mesma forma. O material não é feito para suportar a tensão que recebeu. Isso deveria ser apenas um guarda-corpo. Se eram 20 pessoas empurrando, a tensão fica muito maior e isso não é preparado para essa carga. Agora, tem um fator evidente da corrosão para agravar -  disse o perito, que prosseguiu:

- Precisamos calcular o que o guarda-corpo suporta de tensão, consultar a norma e depois falar. É um problema de material. Não sei se é caso para interdição, mas é preciso refazer essas estruturas. É evidente que elas estão frágeis pela corrosão, então há perigo de haver novos acidentes. Esse gradil é igual em toda a parte inferior do estádio - finalizou.

A estrutura que pega todo o anel inferior do Morumbi é a única divisão de camarotes e cadeiras térreas para o antigo fosso e o gramado. A área, normalmente, é pouco ocupada e recebe torcedores mais contidos, quase sempre com mulheres e crianças. As pessoas costumam ficar apoiadas nas grades de costas para o campo antes do início dos jogos e nos intervalos.