Protesto no CT do São Paulo

Torcedores invadiram o CT do São Paulo no último dia 27 de agosto (Foto: Bruno Grossi)

LANCE!
16/09/2016
00:40
São Paulo (SP)

O Ministério Público de São Paulo pediu a prisão preventiva de 12 torcedores membros de organizadas do São Paulo por invasão ao Centro de Treinamento do clube no último dia 27 de agosto. Na ocasião, os jogadores Wesley, Carlinhos e Michel Bastos foram agredidos, além de objetos terem sido furtados do local. A informação foi divulgada pela Rádio Jovem Pan na noite desta quinta-feira.

A denúncia foi oferecida pelo promotor Paulo Castilho nesta quinta. Ele disse que a ação será apreciada pelo Juizado do Torcedor, sob responsabilidade do juiz Ulisses Pascolatti Júnior. De acordo com Castilho, os suspeitos são líderes de organizadas. 

- Foram pedidos de prisão preventiva para afastá-los das praças esportivas e o arresto de bens para garantir a indenização e os efeitos da condenação - afirmou Paulo Castilho, em entrevista ao site "Globoesporte.com". 

Há um processo criminal aberto sobre o episódio, conduzido pela delegada Margarete Barreto, do Drade (Delegacia de Polícia de Repressão e Análise aos Delitos de Intolerância Esportiva). Barreto já tinha ouvido sete membros de organizadas, entre eles líderes da Independente e Dragões da Real, as principais do São Paulo. O técnico Ricardo Gomes e funcionários do clube também prestaram depoimento. Entre os ouvidos está Henrique Gomes, o Baby, presidente da Independente. Ele foi liberado após prestar depoimento dias após a invasão.