icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/08/2015
16:32

Se o técnico Juan Carlos Osorio tenta não criar expectativas sobre a permanência de Alexandre Pato no São Paulo, o mesmo não pode ser dito sobre o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro. Em entrevista à Rádio Globo, o cartola prometeu uma "queda de braço" para fazer valer a cláusula que dobra a multa rescisória do atacante graças à falta de garantias financeiras do Corinthians.

- O Corinthians poderia negociá-lo dando 48 horas de prazo para o São Paulo se pronunciar. E é aí começa a discussão: o contrato fala em multa de 10 milhões de euros (R$ 40 milhões). Acontece que o Corinthians tinha a obrigação de nos dar uma fiança bancária correspondente aos valores pagos ao Pato e não nos deram. Assim, entendemos que a multa dobrou. A multa é 20 milhões de euros (R$ 80 milhões). Se aparecerem com propostas menores, vamos discutir na Justiça de que a multa é de 20 milhões de euros - avisou.

Além das complicações jurídicas, outro obstáculo encontrado pelo Corinthians para tentar vender Pato nesta janela de transferências é o tempo. A maioria dos países da Europa fecha o mercado no fim da noite desta segunda-feira, enquanto a Inglaterra ainda tem mais 24 horas para operar. O Tottenham, apontado como um dos interessados, até teria mais tempo para negociar, mas anunciou neste fim de semana a contratação do atacante sul-coreano Son Heung-Min por mais de R$ 120 milhões. O ex-jogador do Bayer Leverkusen (ALE) atua na mesma posição de Pato.

A esperança da diretoria são-paulina é conseguir retardar esse processo e ainda conseguir estabilizar as finanças no Morumbi para tentar ficar com o camisa 11 em definitivo em dezembro. O clube calcula uma dívida bancária de mais de R$ 270 milhões, mesmo com a venda de seis jogadores nos últimos três meses. Pato é o astro do time na temporada, com 21 gols e oito assistências.

- Não sei a interpretação do Corinthians no caso, estou dizendo qual é a do São Paulo. O Corinthians quer vender e nós queremos ganhar fôlego até dezembro. A nossa situação financeira estará melhor e queremos ficar em definitivo com o Pato. É uma queda de braço - exaltou Ataíde Gil Guerreiro.

Se o técnico Juan Carlos Osorio tenta não criar expectativas sobre a permanência de Alexandre Pato no São Paulo, o mesmo não pode ser dito sobre o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro. Em entrevista à Rádio Globo, o cartola prometeu uma "queda de braço" para fazer valer a cláusula que dobra a multa rescisória do atacante graças à falta de garantias financeiras do Corinthians.

- O Corinthians poderia negociá-lo dando 48 horas de prazo para o São Paulo se pronunciar. E é aí começa a discussão: o contrato fala em multa de 10 milhões de euros (R$ 40 milhões). Acontece que o Corinthians tinha a obrigação de nos dar uma fiança bancária correspondente aos valores pagos ao Pato e não nos deram. Assim, entendemos que a multa dobrou. A multa é 20 milhões de euros (R$ 80 milhões). Se aparecerem com propostas menores, vamos discutir na Justiça de que a multa é de 20 milhões de euros - avisou.

Além das complicações jurídicas, outro obstáculo encontrado pelo Corinthians para tentar vender Pato nesta janela de transferências é o tempo. A maioria dos países da Europa fecha o mercado no fim da noite desta segunda-feira, enquanto a Inglaterra ainda tem mais 24 horas para operar. O Tottenham, apontado como um dos interessados, até teria mais tempo para negociar, mas anunciou neste fim de semana a contratação do atacante sul-coreano Son Heung-Min por mais de R$ 120 milhões. O ex-jogador do Bayer Leverkusen (ALE) atua na mesma posição de Pato.

A esperança da diretoria são-paulina é conseguir retardar esse processo e ainda conseguir estabilizar as finanças no Morumbi para tentar ficar com o camisa 11 em definitivo em dezembro. O clube calcula uma dívida bancária de mais de R$ 270 milhões, mesmo com a venda de seis jogadores nos últimos três meses. Pato é o astro do time na temporada, com 21 gols e oito assistências.

- Não sei a interpretação do Corinthians no caso, estou dizendo qual é a do São Paulo. O Corinthians quer vender e nós queremos ganhar fôlego até dezembro. A nossa situação financeira estará melhor e queremos ficar em definitivo com o Pato. É uma queda de braço - exaltou Ataíde Gil Guerreiro.