Marcio Porto
11/09/2016
17:32
São Paulo (SP)

O retorno de Marco Aurélio Cunha à diretoria do São Paulo foi celebrado pela torcida, por boa parte dos jogadores, mas causou questionamentos da oposição política do clube. Conselheiros contrários à gestão do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva exigem que o diretor-executivo não seja remunerado, por ele ser conselheiro vitalício. O São Paulo já admite que Marco receberá salário.

Em mensagens trocadas em um grupo de conselheiros no WhatsApp, às quais a reportagem teve acesso, o conselheiro Newton do Chapéu questiona a contratação de Marco. Newton foi o adversário de Leco na última eleição presidencial, em outubro do ano passado, e defende que o Estatuto do Clube não permite que o diretor seja remunerado. Cita como base o Artigo 2º, em cujo parágrafo único está escrito que "nenhuma função pertinente aos Poderes do Clube poderá, em qualquer hipótese, ser remunerada".

Os poderes do clube, segundo o Estatuto, estão divididos em: Assembleia Geral, Conselho Deliberativo, Conselho Fiscal e Diretoria. O argumento da atual diretoria do São Paulo é de que Marco exercerá um cargo executivo, o mesmo de Gustavo Vieira de Oliveira, que saiu na semana passada, sendo substituído pelo conselheiro. Vale lembrar que Marco Aurélio Cunha se licenciou da CBF, em que comanda a Seleção feminina, para assumir o Tricolor pelo menos até o fim do ano.

Depois de seis anos afastado da diretoria, Marco Aurélio foi apresentado no último sábado e neste domingo já esteve com o time no Morumbi, onde o Tricolor bateu o Figueirense por 3 a 1. Desde que assumiu o cargo, o dirigente recebeu inúmeras mensagens de apoio, inclusive da oposição, apesar do questionamento. Os jogadores também elogiaram muito. Um deles foi o volante Hudson.

- São de caras assim que a gente precisa agora. De caras com essa competência pra gente sair dessa´- disse Hudson.

O capitão Maicon concordou com o companheiro.

- Só a presença dele no vestiário é muito importante. É um diretor que tem um histórico muito vitorioso. Mas o que vai fazer a diferença são os jogadores dentro de campo. Somos nós que vamos tirar a equipe dessa situação - disse.

Já o técnico Ricardo Gomes também fez elogios a Marco Aurélio, com quem trabalhou entre 2009 e 2010 no São Paulo.

- Essa colaboração é de todos. O Marco tem a vida no São Paulo. Eu o conheci como médico de campo. O primeiro emprego dele foi aqui. Enalteço o trabalho do Gustavo, mas tem a experiência do Marco, foi uma boa escolha. Ele tem a cara do São Paulo - afirmou Ricardo.


A polêmica sobre o salário de Marco Aurélio Cunha no São Paulo não é bem uma novidade. Na passagem anterior do dirigente, conselheiros também questionavam o fato de ele ser remunerado. Marco era superintendente de futebol na época.