Ana Canhedo
24/02/2016
21:26
São Paulo (SP)

Chamado de erva-daninha por Rodrigo Gaspar, assessor da presidência, e cortado do jogo de domingo, o ex-capitão Michel Bastos ouviu 90 minutos de apitaço da maior organizada do São Paulo nesta quarta-feira, no Pacaembu. Mas o protesto não foi capaz de detê-lo. O camisa 7 respondeu em campo e, de pênalti, abriu caminho para a vitória do São Paulo por 2 a 0 sobre o Novorizontino, pelo Campeonato Paulista, no Pacaembu, diante de 3.333 pagantes. Rodrigo Caio, de cabeça, fechou o placar.

Os apitos da torcida organizada do São Paulo, desferidos a cada toque na bola de Michel Bastos, não foram suficientes para evitar que o árbitro apitasse pênalti em cima de Rogério, depois de boa enfiada de bola do camisa 7. Vacinado contra as críticas, o próprio Michel pegou a bola, cobrou e reuniu todo o elenco para comemorar o gol marcado aos 19 minutos. O goleiro Anderson se chocou com Rogério no lance e preocupou a comissão técnica, mas seguiu no jogo.


Se os uniformizados vaiaram, o restante da pouca torcida presente no Pacaembu fez questão de apoiar o ex-capitão, que perdeu a braçadeira para o goleiro Denis. O camisa 1, por sinal, trabalhou pouco. Sua preocupação se resumiu aos precitados chutes do grandalhão Wesley, único do Novorizontino a levar algum tipo de perigo à meta são-paulina.

Não foi só Michel Bastos a fazer um bom primeiro tempo. Estreante da noite, o zagueiro Maicon mostrou segurança na marcação ao lado de Rodrigo Caio, mesmo que pouco exigido, e chegou até a cabeçar a bola na grande área adversária, ficando perto de marcar. Além disso, deu lançamentos precisos ao campo de ataque. Só preocupou no início do segundo tempo, quando não acompanhou Wesley e contou com uma forcinha de Rodrigo para se safar.

O São Paulo diminuiu o ritmo à medida em que o relógio avançou, e 'tirar o pé' custou o domínio da partida ao Tricolor, que viu o Novorizontino incomodar mais no fim do primeiro tempo. Mesmo assim, nada que estragasse o bom primeiro tempo dos comandados de Bauza no Pacaembu.

Após jogar 45 minutos no sacrifício, com dores no corte cicatrizado no tornozelo esquerdo, Alan Kardec deu lugar a Jony Calleri no intervalo. Autor de desarmes importantes, o volante Thiago Mendes foi quem mais correu para tentar fazer a bola chegar no argentino no começo da etapa final. Em vão. O São Paulo seguiu andando em campo.

Com Wesley e Rogério pouco inspirados, o Tigre, aos poucos, se aproximou do campo de ataque. Rayllan passou por João Schmidt, volante que fez sua primeira partida no ano como titular, e obrigou Denis a fazer excelente defesa. Jogando fora de posição, Rogério pouco fez centralizado no meio-campo, já que está acostumado com a velocidade pelas pontas, e deu lugar a Ganso.

A jogada mais bonita da partida foi protagonizada por Schmidt. De costas para o gol, o volante tocou de letra para a chegada de Thiago Mendes, que bateu forte e levantou a torcida no Pacaembu. O camisa 23 ainda tentou acionar Carlinhos, mas o bandeirinha anotou impedimento.

No fim, a estrela de Rodrigo Caio brilhou mais uma vez. Depois de marcar contra o Rio Claro, o zagueiro viu Wesley cobrar escanteio, Ganso desviar e a bola sobrar limpa para ele cabecear ao fundo das redes. A jogada começou em rápido contra-ataque, quando Calleri girou e deu belo passe para Wesley chutar. O gol deu moral, e o São Paulo reassumiu o comando da partida, confirmando o resultado sem maiores problemas.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 0 NOVORIZONTINO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data-Hora: 24/2/2016 - 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Adriano de Assis Miranda
Auxiliares: Vicente Romano Neto e Vitor Carmona Metestaine
Público-Renda: 3.333 pagantes / R$ 150.243,00
Cartões amarelos: Ganso (SAO), Domingues (NOV)
Gols: Michel Bastos (pênalti) 19' 1ºT (1-0), Rodrigo Caio 35' 2ºT (2-0)

SÃO PAULO: Denis; Caramelo, Maicon, Rodrigo Caio e Carlinhos; Thiago Mendes (Hudson 24' 2ºT), João Schmidt, Michel Bastos e Wesley; Rogério (Ganso 17' 2ºT) e Alan Kardec (Calleri - intervalo). Técnico: Edgardo Bauza

NOVORIZONTINO: Anderson, Éder Sciola, Domingues, Jéci e Paulinho; Fahel (Pedro Carmona 22' 2ºT), Adriano, Rayllan e Pereira; Wesley (Lima 20' 2ºT) e Cléo Silva (Roberto 9' 2ºT). Ténico: Guilherme Alves