LANCE!
31/03/2017
09:27
São Paulo (SP)

Com 12 dos 28 inscritos na primeira fase formados nas categorias de base do clube, o São Paulo tem um dos elencos mais jovens do Campeonato Paulista. Soma-se à juventude, o início do trabalho de Rogério Ceni, um novato como técnico. Ainda assim, há quem veja o Tricolor maduro para encarar as decisões do Estadual, da Copa Sul-Americana e da Copa do Brasil no mês de abril.

- A rodagem feita pelo Rogério nos deixou bem maduro para os mata-matas. Os 28 entraram em algum jogo e agora qualquer um que for relacionado poderá dar conta do recado. A gente chega com bastante confiança, ainda mais depois do último jogo. Nosso time está bem maduro para as fases decisivas - destacou Araruna.

O volante concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira ao lado do lateral-esquerdo Júnior Tavares. Os dois foram promovidos ao elenco profissional em janeiro e somam, respectivamente, 13 e 16 jogos no ano. No domingo, às 16h, devem ser os titulares das laterais do São Paulo para o primeiro dos dois jogos contra o Linense no Morumbi, pelas quartas de final do Paulistão.

- Abril será muito importante, com jogos decisivos em que não podemos entrar desligados ou cometer erros. Precisamos buscar a vitória sempre, mas cuidando atrás para não tomar gols. O São Paulo tem história, é grande, então precisa vencer todos. Temos que entrar concentrados. Jogaremos as duas em casa e não podemos ser surpreendidos - alertou Júnior.

O lateral-esquerdo foi comprado do Grêmio em janeiro por R$ 500 mil e assinou contrato até 31 de dezembro de 2019. Já Araruna está no clube desde a infância e, nesta semana, se acertou para renovar o vínculo que terminaria em 11 de março de 2019 para 31 de dezembro de 2021.

Confira outros trechos da entrevista coletiva dupla:

Júnior, como vê a chegada de Edimar para a lateral esquerda e o fato do time, enfim, ter passado um jogo sem sofrer gols?
Edimar chegou para concorrer, vai ser melhor para que eu treine mais forte. Vai ser melhor para o grupo, estaremos batalhando por nosso espaço e para se doar ao grupo. A gente vinha treinando, conversando e tentando corrigir a exposição gerada por sermos um time ofensivo. Agora esse jogo (1x0 sobre o São Bernardo deu uma tranquilidade para melhorarmos daqui para frente.

Araruna, o que pensa sobre jogar as duas contra o Linense no Morumbi?
Essa relação dos dois jogos no Morumbi não cabe a nós. Se foi decidido, é isso. Só temos mais obrigação de ganhar por serem dois jogos na nossa casa. Não tem muito essa de gostar, porque precisaremos ganhar os dois, aumenta a responsabilidade. Vamos nos preparar bem para esses jogos.

Júnior, esse é o momento do time mostrar que está pronto?
A gente sempre joga para convencer a nós mesmos, o São Paulo, o grupo, a diretoria e a torcida. O que importa mais é o resultado. Dois jogos no Morumbi serão importantes e jogaremos pela vitória sempre, ainda mais para ir à semifinal. Somos um time que busca sempre as vitórias e agora quer o título. Acho que somos a única equipe que colocou todos os jogadores para atuar. Agora entrarão os que estiverem melhor. Vamos vencendo nossas batalhas do dia a dia até sermos campeões.

Araruna, como foi seu crescimento no clube? E o que foi mais difícil: renovar o contrato ou começar o TCC (da faculdade de Administração na Faap)?
​Eu sempre fui um cara meio magrinho. Fui desenvolvendo mais na base, porque era necessário para o futebol profissional. Fui ganhando massa, experiência e acredito que hoje estou preparado para qualquer tipo de desafio. O novo contrato já está acordado, um sonho para mim, são-paulino desde criança. Espero dar muitas alegrias a todos do clube. Sobre o TCC, faz parte da faculdade. Preciso fazer para concluir tudo. Vou dar um jeito.