Libertadores - São Paulo x Atlético MG - Michel Bastos

Michel Bastos segue no São Paulo. Meia tem contrato até o fim de 2017 (foto: Marcello Zambrana/AGIF/Lancepress!)

LANCE!
13/09/2016
19:00
São Paulo (SP)

Uma reunião entre diretoria e Michel Bastos na tarde desta terça-feira definiu que o meia segue no São Paulo. Após o treino, o diretor executivo Marco Aurélio Cunha deu detalhes sobre o encontro. O dirigente revelou os argumentos dados pelo atleta para "explicar" a má fase, exaltou o desejo do atleta de seguir no Morumbi e garantiu ter dado a ele um voto de confiança. 

O dirigente disse que não precisou convencer Michel a ficar. A reunião foi marcada porque a cúpula tricolor acreditava que o meia merecia essa oportunidade de ser ouvido. No fim de agosto, o jogador foi agredido por torcedores que invadiram o CT da Barra Funda para protestar. Desde então, sofreu queda técnica e física, não foi relacionado para os dois últimos jogos e sua saída do clube passou a ser especulada. 

- Fui para a reunião sem saber qual atitude que deveríamos tomar. Foi para ouvir Michel, porque acho que ele merecia esse tipo de atenção. O que aconteceu aqui foi lamentável e eu queria entender as consequências disso para ele. E a conversa foi a melhor possível, fui vendo nele a vontade de permanecer - afirmou Marco Aurélio.

- Michel contou o sofrimento e a angústia que passou. Isso fez ele ter falta de confiança no próprio futebol. Disse que, às vezes, preferia não arriscar jogadas porque estava marcado pela torcida e queria evitar o erro. Essa inibição estava fazendo dele um jogador menor. Também tinha dúvidas se valia a pena estar aqui. Eu disse que sim. Confio nele. Agora ele tem liberdade - acrescentou.  

O diretor explicou que Michel Bastos em momento algum demonstrou desejo de ir embora do São Paulo. Só queria "entender sua importância" no clube para avaliar a pena continuar ou então buscar novos ares. No entanto, Michel não poderia atuar por nenhum time da Série A, já que não pode atuar por outras equipes no Brasileiro e Copa do Brasil, e as principais janelas internacionais do futebol já estão fechadas. 

- Eu não posso abrir mão de um jogador de talento que quer fazer parte do clube. Dou meu voto de confiança para ele, vou resguardá-lo, apoiá-lo e, a partir desse momento, sei que as coisas vão mudar. Temos dois meses e meio de trabalho até o fim do ano e temos muito a fazer juntos. Michel é um jogador de talento, um líder, há muitos torcedores que gostam dele. Ninguém é unanimidade, também já fui vaiado e estou aqui, mas vamos tentar virar esse jogo, porque, comigo, ninguém sai pela porta dos fundos - assegurou Cunha. 

De acordo com o dirigente, Michel passou as últimas semanas treinando normalmente e deve estar à disposição do técnico Ricardo Borges para o jogo contra o Cruzeiro, nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), no Morumbi.

- Ele pode ajudar a gente em alguns minutos, ir recuperando a forma e jogar como ele sempre jogou. Michel entendeu perfeitamente o recado, a conversa franca aberta, olho no olho. Essa foi a melhor solução para terminar o campeonato na melhor posição que a gente puder e, no ano que vem, projetar uma nova vida - completou o diretor do Tricolor.