LANCE!
13/03/2016
15:31
São Paulo (SP)

O zagueiro Maicon não quis saber de justificar a derrota do São Paulo para o Palmeiras, por 2 a 0, no Pacaembu. Apesar do horário e do palco terem fugido do habitual - duelo matutino e longe do Morumbi -, o jogador afirmou que esses fatores não servem de desculpa e que o elenco são-paulino é inteiramente responsável pelo tropeço no clássico.

— Não tem que por desculpa em horário de jogo. Isso é coisa de fraco. Se o horário prejudica um lado, prejudica os dois. Infelizmente perdemos, e a culpa é somente nossa. Claro que a arbitragem nos prejudicou um pouco, mas temos que fazer a nossa parte — afirmou o atleta.

— Jogar fora do Morumbi também não atrapalhar em nada. Lá a torcida pode nos favorecer em termos de apoio, mas dentro de campo é 11 contra 11. Não tem desculpa. Infelizmente não conseguimos o resultado esperado. Perdemos e pronto. Não tem que ficar de mimimi — acrescentou. 


O "fator torcida" não pesou muito a favor do São Paulo. O Choque-Rei deste domingo contou com apenas 13.466 pagantes, público inferior ao que esteve no Pacaembu no sábado para acompanhar Santos e Água Santa (16.036). Mesmo assim, o zagueiro prometeu muita "vontade e dedicação" para o duelo contra o Trujillanos, na próxima quarta, na Venezuela, válido pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores.

— O torcedor pode esperar muita vontade e dedicação da minha parte e dos meus companheiros. Não sou de jogar a toalha no chão, sou um cara que gosta de trabalhar e batalhar. Podem esperar muita determinação. Infelizmente os resultados recentes foram negativos, e a cobrança aumenta, mas a gente está com a cabeça no lugar — garantiu, antes de completar.

— Sabemos que um desafio importante nos espera na quarta. O São Paulo nunca saiu na primeira fase (neste século) e não vai ser comigo e com esse grupo que vai sair. Estamos bem centrados para buscar um resultado positivo — finalizou.

O Tricolor já foi eliminado na primeira fase em três ocasiões (1978, 1982 e 1987), quando ainda não havia faturado títulos, e o sistema de classificação era diferente do atual.