Leco - São Paulo

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, em coletiva de imprensa no Morumbi (Foto: Marcello Zambrana/AGIF)

Bruno Grossi e Marcio Porto
23/11/2015
17:22
São Paulo (SP)

Em meio às explicações sobre a derrota por 6 a 1 para o Corinthians e planos para o futuro, o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, precisou encarar perguntas sobre a chegada de um novo técnico e o retorno do zagueiro Diego Lugano. E enquanto Leco ainda crê em acerto com Diego Aguirre, que chegou a ser anunciado pelo Al Gahafa (EAU), a volta do ídolo uruguaio ficou ainda mais distante em seu discurso.

- Não farei aqui qualquer tipo de referência, individualizada, mas ele (Aguirre) é um nome muito reputado dentre os técnicos, e pode ser cogitado, sim. Quando nós contratarmos um treinador, será um moderno, com uma capacidade de comando de grupo exigida. Temos experiências passadas e que foram exitosas. E ele certamente vai discutir nosso perfil de jogadores - disse o mandatário.

Empresário de Aguirre, o também uruguaio Juan Figer também mantém as chances de seu cliente fechar com o São Paulo abertas. Em rápido contato telefônico com a reportagem, o agente disse que espera ser procurado em breve para poder resolver a situação do técnico com o Al Gahafa.

- O São Paulo não pediu um prazo, mas nós precisamos que eles sejam rápidos. Diego gostaria de treinar o São Paulo, mas só quando eles nos procurarem é que vamos começar as negociações - cobrou Figer.

'Ele é essa figura que honra, dignifica o futebol do São Paulo, e quando a torcida grita por ele, quer mais o símbolo de raça'

Outro cliente do empresário uruguaio é Lugano. O zagueiro tem contrato com o Cerro Porteño (PAR) até agosto do próximo ano, com possibilidade de renovar por mais uma temporada. A diretoria do São Paulo cogitava contratá-lo para assumir o posto de líder que ficará vago com a aposentadoria de Rogério Ceni, além de ter um jogador de mais raça e fibra no elenco. Após analisarem o retorno do ídolo, os dirigentes recuaram e pretendem encontrar outro atleta com o mesmo perfil procurado em Lugano, de 35 anos.

- Ele é essa figura que honra, dignifica o futebol do São Paulo, e quando a torcida grita por ele, quer mais o símbolo, aquilo que ele simboliza de raça, valentia, a não aceitação simples de mau resultado. E isso está nos acomodando! Ganhar está bom, perder está bom... Se perder (com um novo atleta do perfil de Lugano) vai sofrer, terá de sofrer! E o sofrer é não gostar de perder - despistou Leco, no fim da entrevista coletiva.