Bruno Grossi e Marcio Porto 
12/07/2016
15:08
Medellín (COL) e São Paulo (SP)

O São Paulo reconhece que a saída de Paulo Henrique Ganso é iminente, mas nem por isso baixará a guarda nas negociações com o Sevilla (ESP). A equipe espanhola tem proposta de mais de 9,5 milhões de euros (cerca de R$ 34,6 milhões) para apresentar aos tricolores, que esperam o fim da Libertadores e são insistentes: querem receber pelo menos cinco milhões de euros pela parte a que tem direito (R$ 18,1 milhões).

Para chegar a essa quantia, o clube paulista avaliou o Maestro em 15 milhões de euros (R$ 54,5 milhões). Como tem 32% dos direitos econômicos do meia, o São Paulo ficaria com quase um terço do valor da venda. A questão é que o Tricolor argumenta não querer negociar o camisa 10, ao contrário do estafe do atleta e do grupo investidor DIS.

As outras partes envolvidas estão dispostas a fechar as tratativas rapidamente e, assim, aceitariam baixar a pedida para o Sevilla. Com essa resistência do São Paulo para ganhar os cinco milhões de euros, a DIS pode até redistribuir os direitos econômicos de Ganso. O grupo tem 68% e, como investiu menos do que o Tricolor na época da compra do Santos, pode lucrar com parcela menor.

Apesar das pendências em relação à divisão do dinheiro que deve ser investido pelos espanhóis - que têm sido discutida sem complicações, as partes concordam que o momento é bom para negociar o Maestro. Em março do próximo ano, o armador poderá assinar pré-contrato com outra equipe de graça, deixando esta janela de transferências europeias como a melhor oportunidade de uma venda grande.

O Sevilla, por sua vez, trata o assunto com otimismo. Em entrevista ao site oficial do clube, o diretor de futebol Ramon Rodriguez Verdejo deu detalhes das tratativas, disse que a questão financeira está equacionada, mas que há outros fatores que não dependem deles. É, justamente, a divisão nos direitos econômicos.

- Ainda não há nada definitivo, mas estamos negociando com o clube (São Paulo). Estamos relativamente otimistas (em contratar Ganso). Há muito caminho pela frente ainda, porque é uma operação complexa. Não pelo lado financeiro, que temos mais ou menos claro, mas por outras circunstâncias que são alheias ao Sevilla – disse o diretor de futebol.

Com a negociação a todo vapor, Ganso pode nem jogar mais pelo São Paulo. Ele se recuperado de um estiramento muscular na coxa direita e tem prazo de retorno estimado para daqui uma semana. A tendência é que a venda seja confirmada após o fim da participação do Tricolor na Libertadores. Ganso ainda tenta ficar à disposição para as finais, caso o time passe pelo Atlético Nacional nesta quarta-feira.