Bruno Grossi
26/11/2016
07:20
São Paulo (SP)

Rogério Ceni foi o jogador com mais partidas por um clube e como capitão na história. Carrega o posto de maior goleiro-artilheiro do mundo. Mas, por mais improvável que possa parecer após 25 anos de carreira com grandes feitos internacionais, o Mito deixou um ato a cumprir: nunca ter enfrentado um time chinês. Na trajetória do ex-goleiro, apenas jogos como reserva em excursão à China em 1991 e na Copa do Mundo de 2002, contra a seleção do país.

Mas na recém-anunciada carreira como treinador essa lacuna será preenchida imediatamente. Isso porque a estreia do ídolo à frente do São Paulo está prevista para 16 de janeiro, contra o Shanghai SIPG (CHN). O confronto abrirá a participação do Tricolor na próxima temporada e na Flórida Cup, marcando o início de uma nova era no clube.

– Ainda não tinha parado para pensar nisso (enfrentar o Tricolor na estreia de Ceni). Vi notícias de que tinham chegado a um acordo. É bacana um profissional identificado com o clube, com centenas de jogos e todos os títulos que conquistou, voltar como treinador. Fico na torcida para que ele tenha sucesso na nova trajetória profissional – desejou o atacante brasileiro Elkeson, um dos astros do Shanghai SIPG e do futebol chinês, em entrevista ao LANCE!.

O último jogo de Ceni contra um time estrangeiro foi em abril de 2015, contra o Danubio (URU), pela Libertadores

O SIPG vive tempos de fartura, de cofres cheios e estrelas no elenco. Contratou, por exemplo, o argentino Conca, um dos fenômenos do futebol local nos últimos anos. Os últimos gestos de grandeza foram levar o brasileiro Hulk em negociação milionária e o técnico português André Villas-Boas. Mas basta voltar pouco ao passado para ver que as origens são muito diferentes dos investimentos atuais.

Enquanto Rogério Ceni realizava a melhor temporada da carreira em 2005, com os títulos do Paulistão, da Libertadores e do Mundial, os chineses apenas abriam as portas, com o nome de Shanghai East Asia. O projeto não prosperou até que, em 2014, o presidente do Shanghai International Port Group (SIPG), Chen Xuyuan, se juntou à vice-prefeita de Xangai, Zhao Wen, para refundar a agremiação e torná-la uma potência financeira em apenas dois anos.

Confira bate-papo exclusivo com Elkeson:

O que espera de Rogério Ceni como treinador a partir de agora?

O Rogério Ceni é um cara muito inteligente, líder nato durante sua trajetória profissional e tem tudo para ser um grande treinador. Ainda é cedo para avaliar se dará certo ou não, mas tenho boas expectativas de que ele poderá se tornar um grande treinador.

Como encara a participação na Florida Cup em janeiro?
Esse torneio serve como termômetro para nossa pré-temporada. Enfrentar equipes de outros países, da Europa e da América do Sul, é sempre bom para os chineses verem o nível de competitividade dos clubes. Será importante participar desse torneio em termos de marketing também, para expor o futebol chinês no mundo e como preparação para 2017.

Tem conseguido acompanhar a reta final do Brasileirão?
O fuso horário aqui da China complica um pouco para assistir aos jogos que estão acontecendo na América do Sul. Mas tenho acompanhado como posso, inclusive a Seleção Brasileira.