Bruno Grossi
05/08/2016
14:48
São Paulo (SP)

O São Paulo chegou a cinco jogos sem vitória na temporada e se despediu de forma melancólica de Edgardo Bauza, agora técnico da Argentina. Mas o duelo com o Atlético-MG na última quinta-feira também serviu para motivar uma das caras novas do Tricolor para a sequência do Campeonato Brasileiro. Com um golaço na conta, Andres Chavez está empolgado para brilhar no clube paulista.

- Foi algo muito lindo. Tirei proveito quando vi Victor adiantado e por sorte foi um golaço. Uma lástima foi o resultado. Se viesse com vitória, seria tudo melhor. Sou um atacante e vim para isso, marcar gols. E na minha primeira partida como titular, alcancei isso. Oxalá continue sendo assim. Agora precisamos voltar a vencer, porque é isso que importa - disse.

A pintura que agora faz o Comandante sonhar alto saiu logo aos dois minutos do revés por 2 a 1 para o Galo, na 18ª rodada do Brasileirão. O argentino recebeu perto do meio de campo, brigou pelo alto com Erazo e deixou a bola quicar. Rapidamente, percebeu que Victor estava adiantado e soltou bomba de pé esquerdo para encobrir o atleticano com estilo.

- Obviamente estou contente por essa conquista pessoal. Foi um gol lindo mesmo, em uma jogada rápida em que vi o goleiro adiantado e eu tive a felicidade de acertar um chutaço. Estou muito contente e emocionado por fazer meu primeiro gol aqui dessa forma. Foi minha primeira partida como titular, mas não pude ficar contente com o resultado, já que não poderíamos ter perdido essa partida - destacou o atacante.

Chavez tem 135 minutos com a camisa do São Paulo e já marcou um gol

Contratado pelo São Paulo após as referências dadas por Bauza, Chavez agora precisa provar que pode ser útil ao clube mesmo com a saída do treinador. Nesta sexta-feira, os titulares terão apenas um treino regenerativo no CT da Barra Funda, mas o resto do elenco trabalhará com André Jardine, técnico do sub-20, e o auxiliar Pintado. Depois, um novo treinador será contratado.

- Tive a chance de falar com Patón e sabia que ele poderia sair. Não se diz não à seleção argentina. Que ele seja feliz! Agora tenho que seguir trabalhando, jogando, independentemente de que treinador virá. Vou me adaptar ao que ele pedir da forma que for preciso. Jogo na ponta esquerda, mas não tenho mesmo problema de ser o 9. Vou me adaptar - avisou.