Bruno Grossi e Marcio Porto
30/06/2016
00:39
São Paulo (SP)

"Estou fora".

Foi com essa frase enigmática que Ganso deixou a partida desta quarta-feira, contra o Fluminense, no Morumbi, após sentir um problema na coxa direita. Fora do quê? Não se sabe. Fato é que os médicos do São Paulo suspeitam de uma lesão, o que, naturalmente, o coloca como dúvida para a primeira partida das semifinais da Libertadores contra o Atlético Nacional (COL), na próxima quarta, também no Morumbi.

Depois da partida, o médico do Tricolor, José Sanchez, mostrou muita preocupação com a situação do camisa 10. Ele fará um exame médico nesta quinta-feira, procedimento que definirá a situação.

- Ele reclamou de um incômodo muito grande na coxa. Ainda não sabemos o que ele tem. Mas ele sabe que pode ter sofrido um estiramento - disse Sanchez.


Se for um estiramento, Ganso não deve jogar o primeiro jogo da semifinal e vira dúvida para o segundo, no dia 13, na Colômbia. A esperança é de que seja apenas uma contratura, problema mais leve. Neste caso, haveria chance de tratar e ficar pronto para o jogo de ida.

A situação incomodou o técnico Edgardo Bauza. Perguntado sobre a situação do camisa 10, o argentino não conseguiu ser preciso e se irritou com a insistência no assunto.

- Não falo mais sobre Ganso. Não falo. Já disse o que tinha para dizer - chegou a dizer, interrompendo a pergunta do repórter.

- Estamos fazendo de tudo para que todos os atletas cheguem bem para este jogo. Ainda não sabemos o que foi. Vamos ver amanhã - disse o técnico, antes.


Bauza também não quis adiantar um possível substituto para Ganso, caso a lesão seja confirmada. O treinador voltou a reclamar do excesso de jogos e o quanto isso desgasta os jogadores. Ele havia poupado o camisa 10 dos últimos dois jogos temendo que ele estourasse. Ele já perdeu Kelvin, com lesão na coxa esquerda, para a primeira semifinal da Libertadores. Ganso fará exame pela manhã, no dia em que o São Paulo estará de folga.