Bauza, técnico do São Paulo, com seu filho Maxi

Bauza com seu filho Maxiliano no hotel do São Paulo (Foto: Márcio Porto)

Marcio Porto
10/03/2016
13:11
Enviado especial a Buenos Aires (ARG)

O São Paulo joga nesta quinta-feira às 19h30, em Buenos Aires, contra o River Plate, mas o esquenta do duelo pela Libertadores começou bem cedo. No hotel em que a delegação brasileira está concentrada na capital paulista, o movimento é intenso: teve visita do filho de Bauza, almoço da cúpula tricolor com a do River e presença de torcedores do San Lorenzo para apoiar o Tricolor contra o rival argentino.

Desde que chegou à Argentina, Edgardo "Patón" Bauza é um dos mais assediados. A imprensa local fez do treinador, campeão da América pelo San Lorenzo em 2014, uma das atrações do duelo. E no dia do jogo o comandante argentino recebeu a visita de seu filho Maxiliano no hotel. Maxi foi membro da comissão técnica do pai na LDU (EQU) e San Lorenzo e hoje vive em Rosario, onde nasceu. Curte a família após sete anos trabalhando com o pai. Esse foi um dos motivos que o fizeram não trabalhar no São Paulo.

Cauê Rezende, 20, torcedor do São Paulo, ao lado de Osvaldo Simon, 40, torcedor do San Lorenzo
Osvaldo e Cauê se unem contra o River Plate (Foto: Márcio Porto)

O carinho com Bauza seguiu de um torcedor argentino. Osvaldo Simon, de 40 anos, aproveitou a passagem do Patón por Buenos Aires e foi saudar o treinador que garantiu a primeira e única Libertadores da história do clube de Boedo. Ele estava acompanhado de Cauê Rezende, são-paulino de 20 anos que está na capital apenas para o jogo. Ambos se unem contra o River Plate, um dos rivais do San Lorenzo.

- Eu gosto de Bauza, mas não são todos de San Lorenzo que gostam. Por causa do jogo defensivo dele, mas a mim me agrada - disse Simon, que foi ao hotel com a camisa do Ciclón, como é conhecido o San Lorenzo.

Os dirigentes do São Paulo também tiveram um dia agitado. A cúpula se reuniu com dirigentes do River Plate. As duas cúpulas almoçaram juntas no hotel no centro de Buenos Aires. O encontro cordial contou com a presença do presidente tricolor Carlos Augusto de Barros e Silva, o vice de futebol Ataíde Gil Guerreiro, o diretor-executivo Gustavo Vieira de Oliveira e o diretor de marketing Vinícius Pinotti.

Dos jogadores, a grande parte ficou no quarto concentrado. Alguns desceram para receber visitas. Foi o caso de Diego Lugano, que está confirmado para a partida como titular. Os são-paulinos entra em campo no Monumental de Nuñez às 19h30. O Tricolor precisa vencer para se reabilitar da derrota na estreia na fase de grupos para o The Strongest, por 1 a 0, no Pacaembu.