Lucão e Rodrigo Caio

Lucão conta com o apoio total do parceiro de zaga Rodrigo Caio (Foto: Rubens Chiri/SPFC.net)

Ana Canhedo e Bruno Grossi
11/01/2016
07:20
São Paulo (SP)

O ano de 2015 não foi fácil para o São Paulo, nem para Lucão. Mesmo assim, o Tricolor conquistou o direito de disputar a primeira fase da Libertadores e o jovem zagueiro segue entre os principais do elenco. Com 19 anos, conta com a confiança total de seu companheiro de posição, Rodrigo Caio, acredita que o choro ficou para trás e aposta em grandes aprendizados com a chegada de Diego Lugano.

– Lucão tem um futuro brilhante pela frente e além de ser um profissional exemplar, é um excelente jogador. Uma pessoa de muito caráter – afirma Rodrigo Caio ao L!.

Em 2015, Lucão teve que aprender a lidar com a desconfiança e críticas da torcida são-paulina e agora vê se aproximar do clube o ídolo Diego Lugano. Sem temer a concorrência e sem medo do que o futuro lhe reserva, o jogador quer aprender com o veterano e deixar para trás os problemas.

- Indiscutível a qualidade e o que ele representa para o SPFC. Saiu daqui como campeão do mundo. É ídolo. Acho que vai nos ajudar muito em todos os sentidos. Pela experiência, liderança, qualidade. Para mim é uma honra ter a oportunidade de jogar do lado de um jogador da qualidade e experiência do Lugano. Tenho certeza que vou aprender muito - conta ao L!, para logo completar.

- Chorar faz parte de nossas vidas, nas vitórias, nas derrotas. O foco do grupo está voltado sempre pra ganharmos títulos. E isso acontecendo virá o choro de alegrias. Na minha vida eu sempre encaro o dia de amanhã maior e melhor que o de ontem. Pois quando visto a camisa São Paulo é sempre pra dar o melhor. O torcedor tem todo direito de cobrar. Trabalho todos os dias dando sempre o melhor.

O choro ao qual Lucão se refere aconteceu em novembro do ano passado, após uma partida contra o Figueirense, no Morumbi. O beque foi vaiado todo o tempo pela torcida são-paulina e caiu em lágrimas após o apito final.

- Pô, eu só tenho 19 anos - disse à época. Justamente essa pressão em cima do garoto e uma cobrança muito grande fizeram até com que Muricy Ramalho, mesmo longe do São Paulo, saísse em defesa do jogador em quem sempre mostrou confiança.

Mais maduro e mais responsável, como fez questão de dizer, o jovem beque agora aposta suas fichas em trabalho duro para conquistar a confiança do argentino Edgardo Bauza, novo técnico do São Paulo e com quem já teve certo contato e pôde ter uma ideia do que esperar.

- Muito inteligente e seguro do que faz. Já veio com muitas informações do grupo e do clube. Já está impondo seu estilo. Então acredito que não terá dificuldades, muito pelo contrário - completa Lucão.

Se a titularidade em 2016 não é certa, certo é que Lucão terá muito tempo para evoluir. Ainda há esperança!

Lugano
Lugano será concorrência em 2016 (Foto: André Almeida/Futura Press)

LUCÃO E SEUS COMANDANTES

Paulo Autuori
Lucão estreou no São Paulo em julho de 2013, sob o comando de Autuori, técnico que o promoveu por acreditar se tratar de uma boa aposta para o futuro do clube.

Muricy Ramalho
Quando retornou ao São Paulo, em 2013, Muricy também apostou em Lucão, deixando o jovem zagueiro como seu titular na defesa. Mesmo depois de deixar o clube, o treinador defendeu o garoto das críticas, justificando que as mudanças de técnico no clube o prejudicaram e pediu paciência com sua formação.

Juan Carlos Osorio
Com o colombiano não foi diferente. Osorio também nutria confiança no jovem defensor e quando deixou o Tricolor lamentou por não poder mais acompanhar de perto a evolução de Lucão.

Doriva e Milton Cruz
Mesmo por pouco tempo no cargo, Doriva segurou o garoto entre os titulares do São Paulo e mostrava confiança em seu futebol. Com Milton Cruz não foi diferente. Assim, Lucão terminou 2015 como companheiro de zaga de Rodrigo Caio, a dupla mais jovem do Brasileirão.