LANCE!
20/10/2016
07:00
São Paulo (SP)

Rogério Ceni é o favorito para ser o técnico do São Paulo em 2017. O goleiro tem feito cursos e sonha em começar a nova carreira dirigindo o Tricolor. Ele e o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva até já falaram sobre o assunto. Mas, afinal, é o momento para o ex-goleiro iniciar essa nova trajetória no clube do qual é ídolo máximo e no qual jogou por 25 anos? Editores do LANCE!, Thiago Salata e Marcelo Laguna têm opiniões diferentes. Veja o que cada um acha da situação:

Thiago Salata
Editor do LANCE!

"Ele sabe o que isso representa. Vá em frente!"

"Rogério Ceni tem obsessão pelo São Paulo. Rogério quer ser treinador. Treinador do São Paulo. Não é nem um pouco burro, muito pelo contrário. Está ciente do desafio, sabe que a toda hora sua vitoriosa carreira como atleta será confrontada com a nova, no banco de reservas.

A idolatria como goleiro é eterna, nada vai apagar, nem mesmo um possível fracasso e vaias que possa vir a receber como treinador. Vão falar de Falcão, no Inter, Renato, no Grêmio... Mas Ceni é único. Não há outro atleta com 1.237 jogos (e 131 gols) por um só clube a assumir o mesmo como técnico. Único.

Será algo inédito. Se Rogério, com toda experiência que acumulou, sente-se preparado após um ano de estudos, que vá em frente já em 2017. Seria melhor passar pela base antes? Talvez. Mas encarar grandes desafios nunca foi problema para Ceni."


Marcelo Laguna
Editor do Lance!

"Ceni ainda não está pronto para o cargo"

"A notícia de que Rogério Ceni está sendo cotado para assumir o cargo de técnico do São Paulo já na próxima temporada precisa ser vista com uma boa dose de cautela. Especialmente por parte do próprio Ceni.

Uma coisa é reconhecer o conhecimento que o maior ídolo da história do São Paulo tem de futebol. Isso é indiscutível. Outra, bem diferente, é achar que apenas com um ano fazendo cursos e estágios em alguns dos clubes mais badalados do mundo, o eterno Mito da torcida tricolor está pronto para assumir uma função tão importante.

O ideal seria que Ceni passasse por uma espécie de “estágio” no Sub-20, algo que Zidane e Guardiola fizeram com sucesso nos times B de Real Madrid e Barcelona, respectivamente. Colocá-lo já em 2017 para comandar um time em reconstrução como o São Paulo é arriscado demais."