Denis - São Paulo

Goleiro cresceu de produção e foi decisivo nos últimos três jogos do São Paulo (Foto: Divulgação/saopaulofc.net)

LANCE!
03/08/2016
12:17
São Paulo (SP)

- Vocês vão fazer perguntas sobre mim ou posso ir embora?

É compreensível a brincadeira com toque de frustração de Denis após a entrevista coletiva desta quarta-feira no CT da Barra Funda. Afinal, o tema no São Paulo tem sido um só nesta semana: a saída de Edgardo Bauza para comandar a seleção da Argentina. Assim, o crescimento do goleiro nos últimos jogos, com defesas difíceis e decisivas, acabou em segundo plano.

- Tenho essa gratidão por ele ter me bancado, mas isso só aconteceu porque mostrei trabalho nos treinos. Mostrei que estava evoluindo no dia a dia. Fico muito feliz dele ter apostado em mim e que eu tenha correspondido da melhor forma possível nos últimos jogos - disse o camisa 1, agradecendo a Patón.

Nesta quinta-feira, às 19h30, Denis e os outros jogadores do São Paulo terão a última chance de ratificar essa gratidão por Bauza. O técnico se despedirá do clube no Morumbi em jogo contra o Atlético-MG pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro e o Tricolor precisa voltar a vencer depois de três tropeços consecutivos na Série A.

- Eles têm excelentes jogadores no ataque e já estamos nos preparando para isso, como neste último treino. Teremos uma motivação maior de ser o jogo de despedida do Bauza, então queremos dar a vitória a ele. Foi muito importante para nós. Sabemos da força do ataque deles e treinamos em cima disso nesta semana - avisou o goleiro são-paulino.

'Sobre o novo técnico, a diretoria saberá se é mais fácil brasileiro ou estrangeiro. Nosso papel tem que ser feito independente do treinador que virá'

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Denis:

Como o time ficará sem Bauza? E que perfil espera do novo técnico?

Bauza nos ajudou muito neste ano, mostrando uma forma própria de jogo dele. Está saindo de um excelente clube para dirigir a seleção de seu país. Ficamos tristes pela perda e felizes pela conquista. Sobre o novo técnico, a diretoria saberá se é mais fácil brasileiro ou estrangeiro. Nosso papel tem que ser feito independente do treinador que virá.

Mas tem preferência por algum perfil?
Independentemente disso, temos que nos adaptar muito rápido. É difícil trocar no meio da temporada, então temos que fazer nosso trabalho em campo não importa qual seja o perfil ou o estilo de jogo do treinador. Nada melhor do que o trabalho do dia a dia para voltar a vencer e jogar bem.

Acredita que os estrangeiros do elenco podem se prejudicar sem ele?
Acho que não. Eles já estão à vontade com os jogadores e é isso que importa. Eles vão mostrar o trabalho nos treinos e nos jogos. Aí sim o próximo treinador vai montar o time. Cada um tem um jeito de pensar e agir, vamos esperar para ver qual será a postura do novo treinador.