Marcio Porto
26/05/2016
07:10
São Paulo (SP)

O São Paulo não vence um clássico desde junho do ano passado: são dez confrontos. E domingo recebe o Palmeiras, no Morumbi. O que esperar do time? As esperanças do técnico Edgardo Bauza passam pela recuperação de jogadores que estão baleados, mas podem ser reforço no Choque-Rei.

No empate por 1 a 1 com o Coritiba na última quarta-feira, Bauza preservou o zagueiro Lugano, o meia Ganso e o atacante Calleri. Os três sofrem com o desgaste físico da sequência de jogos, entre Campeonato Brasileiro e Libertadores. O uruguaio dificilmente suporta dois jogos seguidos. E a expectativa do técnico argentino é de que eles possam voltar para ter um time competitivo, capaz de vencer o rival.

- Vamos ver o que faremos. Temos algum tempo para analisar. Os que ficaram em São Paulo estão se recuperando, mas são muitos os que não poderemos contar. Precisamos trabalhar forte para uma partida tão importante - disse o técnico.

É que Bauza já tem uma série de desfalques confirmados. Dos titulares que vinham jogando, o volante Hudson e o meia Michel Bastos têm lesões musculares e ainda não sabem quando voltam. Rodrigo Caio e Mena estão com suas seleções disputando a Copa América. O jovem Lucas Fernandes deixou o campo em Curitiba com o ombro deslocado. É torcer pela atuação do departamento médico.

Lugano e Ganso devem jogar. A preocupação maior é com Calleri, que saiu de campo no último domingo, contra o Internacional, sentindo fadiga muscular. O argentino foi preservado para estar em campo domingo, mas ainda não está confirmado.

Treino do São Paulo - Calleri
Atacante Calleri, em treino no CT (Foto: Ari Ferreira/Lancepress!)

Num cenário mais otimista, o São Paulo pode ter contra o Palmeiras o seguinte time: Denis, Bruno, Lugano, Maicon e Matheus Reis; Thiago Mendes, Wesley, Kelvin, Ganso e Centurión; Calleri. João Schmidt, volante que era titular até se machucar, há nove partidas, está recuperado e de repente pode aparecer no time.

Fato é que o São Paulo precisará acabar com um jejum. São dez clássicos sem vitória: sete derrotas e três empates. O torcedor espera que seja domingo. O momento é bom, afinal o time é semifinalista da Libertadores. Se a condição física ajudar...