Rogério Ceni, São Paulo (Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)

Rogério Ceni, em ação no São Paulo (Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)

Marcio Porto
12/11/2015
17:49
São Paulo (SP)

O São Paulo e seus torcedores vivem a expectativa por uma data histórica que se avizinha. No próximo dia 11 de dezembro, o goleiro Rogério Ceni se despedirá do futebol em um evento que promete tocar no coração dos tricolores. Isso porque, além de dar adeus ao maior ídolo, o torcedor ainda poderá matar a saudade de outras figuras ilustres da história do clube. O uruguaio Diego Lugano, por exemplo, é um deles. O Tricolor já conta com a presença do zagueiro na festa. Com o técnico Paulo Autuori, também.

Será, no mínimo, curioso. Lugano reforçará o time campeão mundial em 2005, que enfrentará um combinado dos campeões mundiais de 1992/93. Mas qual será a situação até lá? A diretoria analisa o retorno do uruguaio para 2016 e cogita tirá-lo do Cerro Porteño (PAR). Ou seja: Lugano poderá voltar a vestir a camisa do São Paulo já tendo acertado seu retorno ao clube. Ou, para azar dos torcedores que querem seu retorno, com a frustração de não ter, outra vez, realizado o sonho tricolor da volta do ídolo.

No momento, a diretoria do São Paulo está em fase de análise. Pondera os prós e contras de um possível retorno do zagueiro, também campeão da Libertadores em 2005. Lugano, por sua vez, está feliz no Paraguai e procura não criar muitas expectativas para não se frustrar, segundo relato pessoas que conversam frequentemente com o uruguaio. É simples: Lugano topa voltar. Mas, aos 35 anos, não se ilude mais. Tem uma carreira consagrada. Perder a festa do "patrão", como Ceni é conhecido entre os atletas, ele também não vai.


Outra situação curiosa envolve Paulo Autuori. Já está praticamente sacramentado que o técnico que comandou o time campeão em 2005 sobre o Liverpool estará no banco de reservas reeditando a parceria. Mas ele também é um alvo cotado para assumir o clube em 2016. Atualmente, Paulo está no Cerezo Osaka, da segunda divisão do Japão, e, segundo as pessoas mais próximas dele no São Paulo, aceitaria convite para voltar. Será que a diretoria já terá anunciado o próximo treinador até lá? Será a terceira passagem de Autuori? Incógnita, pois Cuca também é analisado.

A maioria dos campeões em 2005 já foi procurado e confirmou presença no jogo festivo. Uma ausência certa é do camisa 10. O meia Danilo, por razões óbvias, terá de ficar fora. Ele acaba de renovar contrato com o Corinthians. Mas nomes como o do zagueiro Edcarlos e do volante Josué, atualmente no Atlético-MG, o ex-meia Souza, os ex-atacantes Amoroso e Aloísio, o atacante Grafite, do Santa Cruz-PE, ou alguns menos celebrados estão confirmados.

É o caso, por exemplo, do ex-atacante Christian, que atualmente é empresário. Com passagens também por Corinthians e Palmeiras, ganhou o apelido de "Jesus Christian" e esteve no grupo que foi campeão sobre o Liverpool, sem ter entrado em campo.

Do lado do time campeão mundial em 1992 e 93, também há curiosidades. O hoje técnico Doriva, por exemplo, foi um dos volantes titulares na final contra o Milan (ITA), em 93. Mas foi demitido na última segunda-feira do clube e saiu chateado, por ter feito apenas sete jogos. Acredita ter sido vítima dos problemas de gestão corriqueiros nos últimos anos no Tricolor. Estará Doriva em campo, se reencontrando com os dirigentes que o demitiram e com Rogério Ceni, seu ex-comandado?

Outro ponto é saber quem será o treinador desse time, haja visto que Telê Santana, condutor dos dois primeiros títulos mundiais do clube, morreu em 2006.