Bruno Grossi e Marcio Porto
23/07/2016
09:10
São Paulo (SP)

Perder um técnico no meio de uma temporada costuma ser razão para lamentações dos clubes. Não que o São Paulo ficará feliz com uma eventual saída de Edgardo Bauza para a seleção argentina, mas o clube pode ganhar um forte trunfo nas negociações de um possível substituto para Patón. 

Se a Associação de Futebol Argentino optar por Bauza para assumir a seleção local, em detrimento a Miguel Ángel Russo, o Tricolor terá cedido o segundo treinador para uma seleção de nível elevado em menos de um ano. Afinal, em outubro de 2015, o colombiano Juan Carlos Osorio assinou com o México.

Por mais que os fatos possam ser vistos como uma coincidência ou combinação de acasos, o São Paulo usará essa imagem de vitrine mundial como carta alta para contratar seu novo técnico. Principalmente porque esse substituto de Bauza tende a ser um estrangeiro, mais uma vez.

O clube paulista não vê nenhum profissional brasileiro - entre os disponíveis no mercado - que se encaixe no projeto de longo prazo pensado pelo diretor-executivo Gustavo Oliveira. E a cúpula tricolor admite que relembrar o histórico recente de Osorio e, possivelmente, de Patón pode atrair nomes do exterior.

A situação de Bauza não deve demorar a ser definida, já que a AFA pretende anunciar o sucessor de Tata Martino, demitido após o vice-campeonato da Copa América Centenário, no início da próxima semana. Já o São Paulo costuma não ter pressa para contratar, principalmente os técnicos, como foi com Patón e Osorio, em negociações de Gustavo Oliveira.